Crossover já adiantado em teasers será feito sobre a base do Kwid

Até então programada para maio e posteriormente agosto, a chegada às lojas do crossover Magnite, da Nissan, vai demorar mais alguns meses para se concretizar. Conforme explica a imprensa da Índia, onde o modelo será lançado inicialmente, o atraso é decorrente da paralisação das fábricas e das condições ainda sensíveis do mercado diante da crise causada pelo coronavírus.

Agora, a marca avalia que o melhor momento para apresentar a novidade é janeiro de 2021. Há grande expectativa em torno da chegada do modelo, especialmente pelo papel que desempenhará no portfólio local da Nissan. Especialistas afirmam que a marca não pode se dar ao luxo de errar na estratégia de lançamento, por isso o adiamento de mais alguns meses.

Galeria: Nissan Magnite - Teasers

Como já dito em outras ocasiões, o projeto atende internamente pelo codinome TBC, mas o apelido "mini-Kicks" também vem sendo adotado informalmente. Como nos principais concorrentes, terá comprimento limitado nos 4 metros (característica que rende vantagens tributárias na Índia) e atuará em um nicho cada vez mais concorrido do mercado local.

Mecanicamente, a plataforma adotada será a mesma CMF-A do Renault Kwid, porém na versão de entre-eixos alongado que já é usada pela minivan Triber e que será adotada também pelo futuro Kiger (SUV sub-compacto que também será produzido na Índia). Sob o capô, são esperados motores 1.0 aspirado e turbo ligados ao câmbios manual ou automatizado.

Já no Brasil, a grande novidade da Nissan no segmento de SUVs será a primeira reestilização do Kicks, que além do novo visual terá como destaque a oferta da inédita versão híbrida E-Power. O lançamento está previsto para o primeiro semestre de 2021.

Fotos: Divulgação