Retorno começará por Indaiatuba, Porto Feliz e São Bernardo do Campo. Fábrica de Sorocaba ficará para dia 26

A Toyota é uma das últimas fabricantes a retomar a produção nacional, revelando que suas três unidades em Indaiatuba, Porto Feliz e São Bernardo do Campo (todas no estado de São Paulo) voltarão a produzir a partir da próxima segunda-feira (22). Já a fábrica em Sorocaba ficará para a sexta-feira (26). O retorno será feito de forma gradual e os funcionários terão que seguir novas normas de segurança e higienização.

Para proteger os funcionários contra contaminação por coronavírus, a Toyota implementou uma série de medidas em um novo protocolo de segurança. Os funcionários devem ir para fábrica já uniformizados, para evitar muita gente nos vestiários. Os fretados terão capacidade reduzida para aumentar o distanciamento – em compensação, a marca irá oferecer o dobro de veículos. A chegada acontecerá de forma escalonada, evitando aglomeração no desembarque.

Galeria: Fábrica Toyota - Porto Feliz

A entrada das fábricas passa a contar com câmeras termográficas que irão medir a temperatura de todos logo no portão. No caso de pessoas que entram com carros ou motos, a temperatura será medida antes da entrada no estacionamento. Todos os locais de circulação contarão com álcool em gel e áreas comuns receberam sinalização no piso para indicar a distância segura entre as pessoas.

Embora não tenha falado sobre como funcionarão as linhas de montagem, em quantos turnos e com quantas pessoas, a Toyota disse como será a parte administrativa. De segunda a quinta-feira, será feito um rodízio para que 50% dos funcionários trabalhe no escritório, e o restante de casa, para aumentar o distanciamento no espaço. Às sextas-feiras, 100% dos empregados da área trabalharão de casa. A fabricante também forneceu um kit de dez máscaras para uso durante o expediente.

Até mesmo o refeitório teve que ser retrabalhado. Sai o self-service usado até então, substituído por porções embaladas individualmente. As pessoas deverão sentar de forma intercalada, formando um “W”, para que ninguém fique de frente ou ao lado de outro funcionário. Por fim, serão realizadas escalas de 20 minutos, para garantir uma melhor circulação de ar no ambiente.

Com o retorno das operações, a Toyota pode voltar a mexer na fábrica em Sorocaba (SP), onde a fabricante investiu R$ 1 bilhão para poder produzir modelos com a plataforma modular TNGA. É de lá que sairá o inédito SUV médio Corolla Cross, já avistado em testes na Ásia e que deve ser apresentado até setembro. Será produzido no Brasil a partir de 2021, para enfrentar o Jeep Compass e o Volkswagen Tarek.