SUV de porte intermediário será produzido na Argentina e posicionado acima do T-Cross

Apesar de já estar à venda na China e ter sido flagrado por diversas vezes rodando em testes na América Latina, o aguardado SUV derivado do projeto Tarek não chegará ao Brasil na data prevista. Até então, a Volkswagen planejava apresentar o carro definitivo no final deste ano e enviá-lo às lojas no início de 2021. No entanto, as paralisações realizadas na fábrica de Pacheco, na Argentina, por conta da pandemia alteraram o calendário.

Agora, a expectativa é mostrar o carro apenas em maio de 2021, com vendas na metade do ano que vem. A planta, recentemente reaberta, ficou fechada durante 60 dias por conta da quarentena e demandará mais tempo para iniciar a produção do modelo em ritmo comercial. A boa notícia é que unidades pré-série já começaram a sair das linhas de montagem.

Galeria: Volkswagen Tharu - Fotos oficiais

Outra novidade diz respeito ao nome definitivo, já que Tarek na verdade é apenas o batismo do projeto. Na China, a marca optou pela alcunha Tharu, mas não há confirmação sobre o uso do mesmo nome no Brasil. Ao que tudo indica, a nomenclatura usada por aqui será inédita e adotada em outros países, como México e Rússia, onde o SUV também será produzido. O anúncio será feito entre julho e agosto.

Volkswagen Tarek - Flagra no México
VW Tharu

Além do nome, o visual também será exclusivo. Na comparação com a versão chinesa, flagras já adiantaram que a variante sul-americana terá design com detalhes próprios. Entre as novidades, destaque para novo para-choque frontal, rodas com desenho próprio e paleta de cores com tons mais adequados ao gosto local.

Atuará entre o T-Cross e o Tiguan AllSpace, numa faixa que hoje iria dos R$ 120 mil aos R$ 150 mil. É provável que o Tiguan perca a versão de entrada 250 TSI para abrir espaço ao novo SUV, passando a ser importado (ele vem do México) somente nas configurações Comfortline e R-Line.

O crossover medirá 4,45 metros de comprimento e 2,68 m de entre-eixos, com porta-malas de 445 litros. Para efeito de comparação, o Compass mede 4,41 m, 2,63 m e possui 410 litros, respectivamente. Mecanicamente, o conjunto adotado será exatamente o mesmo do T-Cross Highline: motor 1.4 TSI (150 cv e 25,5 kgfm) ligado ao câmbio automático de 6 marchas, sempre com tração dianteira.

Assista: T-Cross encara Creta e HR-V