Retomada nas fábricas de Itirapina e Sumaré acontecerá agora apenas em junho

Com produção paralisada nas fábricas paulistas de Itirapina e Sumaré desde o dia 25 de março, a Honda levará mais tempo que o previsto para voltar à normalidade. Em anúncio divulgado nesta quinta-feira (23), a marca prorroga pela segunda vez o período de suspensão das atividades em ambas as plantas.

Inicialmente, a expectativa era retomar os trabalhos no dia 14 de abril - o que acabou não acontecendo. O prazo, então, foi estendido para o dia 27 de abril e agora será mais uma vez prorrogado - para o dia 25 de junho. Na prática, serão exatos três meses com as linhas de montagem totalmente paralisadas no país.

Galeria: Honda - Fábrica em Itirapina (SP)

A marca explica que a medida visa assegurar a saúde e segurança dos colaboradores diante da pandemia do novo coronavírus, bem como adequar a produção à demanda atual do mercado. Os funcionários afetados pela paralisação terão o contrato de trabalho temporariamente suspenso por 60 dias, conforme os termos previstos na Medida Provisória 936/2020. Nesse período será mantido de 75% a 100% da renda líquida atual do colaborador. O desconto será escalonado de acordo com as faixas salariais, conforme acordado com sindicais locais.

A Honda fabrica no Brasil os compactos Fit e City, o médio Civic e os crossovers HR-V e WR-V. As fábricas paulistas juntas empregam mais de 3.500 colaboradores. Recentemente, a marca comemorou a produção de 2 milhões de veículos em solo brasileiro, após 23 anos de atuação industrial no país.