Há preocupação com a forte pressão financeira gerada pela crise do novo coronavírus

Diante da crise econômica gerada pelo surto do novo coronavírus, muitas montadoras já começam a se organizar para enfrentar os meses (ou talvez anos) de fortes pressões financeiras. É o caso, por exemplo, da Volvo, que realizará diversos cortes e enxugamentos em setores considerados importantes para preservar a saúde fiscal de seu caixa.

De acordo com reportagem recente da agência de notícias Automotive News Europe, a marca reduzirá investimentos em duas áreas específicas: pesquisa e desenvolvimento e reestilizações de meia-vida (os famosos facelifts). O CEO da empresa, Håkan Samuelsson, disse à publicação que, diante dos vários projetos em curso, "questionará a necessidade de fazer todos eles".

Galeria: Teste: Volvo XC40 T4 (BR)

Apesar da situação, as áreas relacionadas ao desenvolvimento tecnológico não serão atingidas. Segundo a publicação, os projetos relacionados à direção autônoma e eletrificação (pilares do programa estratégico de médio e longo prazos da marca) continuarão sendo tocados sem alterações.

"São prioridade absoluta", de acordo com Samuelsson. "Qualquer mudança nessas áreas comprometeria nossa estratégia", acrescentou.