Ressuscitada como divisão de baixo custo, marca deixará de existir em 2022

Ressuscitada em 2013 como divisão de baixo custo da Nissan, a marca Datsun parece não ter logrado êxito na missão de ser uma alternativa barata e popular em mercados emergentes. Prova disso é o fechamento anunciado pela gigante japonesa de duas fábricas mantidas em Karawang e Purwakarta, na Indonésia. As instalações produziam veículos de ambas as empresas e foram descontinuadas dentro do programa global de redução de capacidade da Nissan. 

No caso da Datsun, eram fabricados os modelos Go, Go+ e Go Cross, que continuarão sendo vendidos enquanto durarem os estoques. No caso da Nissan, a atuação no país não será afetada, porém agora incluirá apenas veículos importados: X-Trail e Serena (fabricados no Japão), Frontier e Terra (importados da Tailândia) e Livina (fabricada na própria Indonésia, mas na fábrica da Mitsubishi ao lado da Xpander). Posteriormente será lançado o Kicks, importado da Tailândia.

Galeria: Datsun - Família Go

A saída da Datsun da Indonésia é mais um passo dado em direção à extinção da empresa - algo previsto para 2022. Localmente, as vendas diminuíram consideravelmente nos últimos anos e chegaram a apenas 7.000 unidades no ano passado. Em outros mercados onde ainda atua, como Índia, Rússia e África do Sul, a situação não é diferente.

Renascida há 7 anos, a Datsun queria ser para a Nissan o que a Dacia é para a Renault. Começou produzindo os modelos Go, Go+ e Go Cross, desenvolvidos sobre uma versão simplificada da plataforma do March, e chegou a lançar também rebadges feitos a partir de veículos da Lada, como o On-Do (Granta)e o Mi-Do (Kalina). Um dos últimos lançamento da marca foi o Redi-Go, baseado no Renault Kwid.