Executivo confirma que sedã não terá nova geração no mercado norte-americano

Após diversas gerações feitas especialmente para os Estados Unidos, o Volkswagen Passat prepara-se para sair de cena no país - e pode ser substituído por um modelo elétrico. A informação foi revelada por executivo da marca, adiantando que o sedã não tem muito tempo restante nos planos da empresa para os próximos anos. Um destino bem diferente do Passat europeu, que é vendido no Brasil e que recebeu uma reestilização recentemente.

Galeria: Volkswagen Passat 2020 (Estados Unidos)

"O Passat é um carro que tem um tempo de vida limitado em termos de planejamento", afrima Johan de Nysschen, COO da Volkswagen of America, em entrevista ao Roadshow. "Provavelmente é seguro assumir que, quando este Passat chegar ao fim de seu ciclo de vida, seu sucessor provavelmente não terá um motor a combustão", completa o executivo.

A Volkswagen trabalha em vários modelos totalmente elétricos e a declaração feita por de Nysschen nos faz imaginar que o sucessor do Passat norte-americano pode ser a versão de produção do ID.Vizzion (na galeria abaixo). O conceito adianta como será o sedã elétrico da linha ID., previsto para chegar às lojas até 2030.

Galeria: VW I.D. Vizzion Concept no Salão de Genebra 2018

Nas duas primeiras gerações para os Estados Unidos, o Volkswagen Passat usava os nomes Dasher e Quantum, respectivamente. Só passou a ser batizado como Passat a partir de 1990, quando chegou à terceira geração. E, desde o modelo 2012, passou a ser um carro separado do Passat europeu. Eles se separaram ainda mais a partir de 2015, quando o modelo vendido na Europa adotou a plataforma modular MQB (a mesma do Golf), enquanto nos EUA ele continua a velha arquitetura PQ46.

Nos EUA, o Passat passou por mudanças na linha 2020, com uma leve reestilização. Já no Brasil, estamos na espera pelo Passat renovado, que foi lançado na Europa em 2019. O sedã grande pode virar o segundo modelo híbrido da marca no país, chegando na versão GTE.

Fonte: Roadshow