Geração atual passa a ser vendida apenas na América do Sul

Aos poucos o Chevrolet Cruze vai desaparecendo do mercado internacional. O sedã médio deixou de ser vendido nos Estados Unidos, Canadá e México após o fim da produção local, o que já levantou dúvidas se ele teria uma nova geração. Pois agora não tem mais espaço nem na China, onde a GM acaba de encerrar a venda do sedã, como indica o site Auto Sohu. Agora o Cruze é vendido somente na América do Sul e alguns países da Ásia (ainda na geração anterior).

Galeria: Chevrolet Cruze 2020

O início da crise do Chevrolet Cruze começou em novembro de 2018, quando a General Motors anunciou que iria interromper a produção em cinco fábricas nos Estados Unidos e Canadá. Isso levou ao fim da produção do Cruze no país e, aproveitando que as vendas já estavam baixas, a GM decidiu encerrar a oferta do sedã médio e do hatch derivado. Em dezembro, a fabricante também confirmou que iria acabar com a produção no México, usando a linha de montagem para montar o novo Blazer.

Desde então, o posicionamento oficial da GM era de que, embora o Cruze não tivesse mais espaço nos EUA, ele ainda seria um modelo importante na China e na América do Sul. Tanto é que começou a produzir a versão reestilizada na Argentina, iniciando as vendas no Brasil em agosto de 2019. A esperança era que sua continuidade na China levasse ao desenvolvimento de uma nova geração do sedã médio.

Porém, a GM começou a mexer em sua linha na China, lançando outros modelos como o Onix Plus, Monza e Malibu XL. O novo Monza tem porte bem próximo. Apesar do entre-eixos menor, de 2,64 m (ante os 2,70 m do Cruze), ele tem comprimento bem próximo, com 4,63 m (o Cruze tem 4,66 m). Outro problema é que a China também abraçou a moda dos SUVs, tanto é que a Chevrolet oferece quatro crossovers, mais do que a quantidade de sedãs disponível no país.

Com o fim do carro na China, apenas Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai ainda vendem o Chevrolet Cruze de segunda geração. Alguns países da Ásia contam com o sedã, mas na geração anterior. Um alento é que ele ainda tem um resultado expressivo o suficiente na região. Em 2018, ele foi o terceiro mais vendido do segmento no Brasil e parece que conseguirá a segunda posição nas vendas de janeiro deste ano. Já o Cruze Sport6 virou a única opção de hatch médio com preço na faixa dos R$ 100 mil – o Ford Focus já saiu de linha e o VW Golf agora é vendido somente na variante híbrida GTE por R$ 199.990.

Como o Chevrolet Cruze é o único carro em produção na fábrica na Argentina, ele ainda terá vida garantida até 2021. O mistério é sobre o que acontecerá após essa data, pois o complexo iniciará a fabricação de um novo modelo. A General Motors anunciou que fará uma parada em fevereiro para iniciar as mudanças na linha de produção para este novo carro. Ainda não sabemos qual será este veículo, mas tudo indica que pode ser uma picape abaixo da S10 ou um SUV de porte médio, acima do Tracker.

Fonte: Auto Sohu