Flagras recentes mostram que a picape não será tão grande quanto se esperava

Primeira grande investida da Hyundai no segmento de picapes, a tão especulada versão de produção do conceito Santa Cruz enfim entrou em ritmo acelerado de testes. Foram exatos 5 anos de idas e vindas desde a apresentação do protótipo, no Salão de Detroit de 2015, mas agora diversas unidades pré-série começaram a sair da toca para provas de rua.

É nesta fase que os flagras se tornam constantes e proporcionam a descoberta de detalhes até então desconhecidos, exatamente como mostram as imagens desta reportagem. Pelo que já é possível notar, a Santa Cruz não será tão grande quanto esperado, tendo porte inferior ao das principais picapes do mercado norte-americano, como Ford F-150 e Chevrolet Silverado. Na prática, será aproximadamente do tamanho de uma Fiat Toro.

Galeria: Hyundai Santa Cruz - Flagra

A expectativa da Hyundai é explorar o mercado norte-americano, onde o apetite por picapes é cada vez maior, mas através de uma estratégia intermediária. "Criaremos uma nova classe de compradores”, disse em certa ocasião o executivo Michael O'Brien. A Santa Cruz será construída sobre a plataforma do próxima geração do Tucson, com estrutura monobloco, e estilo alternativo às picapes feitas sobre chassi. Ou seja, será a mesma fórmula adotada pela Honda Ridgeline (que usa arquitetura do SUV Pilot), mas com porte inferior e mais próximo, por exemplo, ao da Fiat Toro - que também usa o mesmo tipo de construção (base derivada do Jeep Renegade). A carroceria terá sempre cabine dupla, com quatro portas e capacidade para levar 5 ocupantes.

Hyundai Santa Cruz - Flagra
Hyundai Santa Cruz - Flagra

Jovens de até 30 anos serão o público-alvo e, para atender às necessidades desse nicho, diversos recursos serão oferecidos, incluindo itens de personalização e utilidade prática. A caçamba, por exemplo, poderá ser equipada com uma série de acessórios de fábrica, como extensores, trilhos e ganchos de amarração. A ideia é ampliar a área de carga o suficiente para levar uma motocicleta, por exemplo.

Já no visual, haverá bastante diferenças em relação ao conceito de 2015. Dada a passagem de tempo entre a apresentação conceitual e o lançamento definitivo, a ideia é atualizar as linhas e trazê-las para a atual realidade estética da marca. Protótipos flagrados deixam escapar que a dianteira terá traços bastante agressivos, com faróis divididos, ao melhor estilo dos novos SUVs da marca.

Sob o capô, o conceito apresentado em Detroit tinha motor 2.0 turbodiesel de 190 cv, mas este propulsor dificilmente será oferecido na América do Norte. Dessa forma, a motorização mais cotada é um novo 2.5, em versões aspirada (198 cv) e turbo. Cogita-se ainda a oferta de uma variante híbrida. A tração dianteira será padrão, mas o sistema HTRAC de tração integral será oferecido como item opcional. O lançamento acontecerá neste ano, com chegada às lojas prevista para 2021. A produção será concentrada no Alabama, EUA.