Serão US$ 2 bilhões de investimento para a empreitada

A VinFast faz barulho no Salão de Paris de 2018. Não bastasse ser a primeira marca de carros de produção em massa do Vietnam, os modelos da empresa chamaram a atenção por terem sido desenhados por ninguém menos que o estúdio Pininfarina (o mesmo das Ferrari). Os primeiros modelos da VinFast (um sedã e um SUV) parecem realmente feitos para ganhar o mundo - ao menos em termos de design.  

Galeria: Vinfast LUX A2.0 Sedan e LUX SA2.0 SUV

Dito isto, Pham Nhat Vuong, o homem por trás da VinFast e dono de 49% da marca, quer subir de nível. Segundo uma reportagem da Bloomberg, Vuong diz que quer vender os carros da VinFast no mercado norte-americano em 2021. A decisão é tão ousada que Vuong está investindo cerca de US$ 2 bilhões (aproximadamente R$ 8,16 bilhões) de sua própria fortuna pessoal para que a estratégia dê certo.

"Nosso objetivo final é criar uma marca internacional", disse Vuong em uma entrevista na sede da Vingroup, dona da VinFast. "Será uma estrada bem difícil e nós iremos nos esforçar muito. Mas só há um caminho à frente." A escolha de apostar no mercado global vem do fato de que a VinFast não será lucrativa se ficar apenas no mercado vietnamita. Vyong diz que a indústria automotiva do Vietnam é pequena demais e a única maneira de fazer com que a VinFast dê lucro é vender carros em outros países.

Enquanto o comprometimento de Vyong para entregar no mercado dos Estados Unidos seja compreensível, ele enfrentará uma série de desafios e barreiras para ter sucesso no país. O principal será a percepção da marca, já que praticamente nenhum norte-americano conhece a empresa. Outro problema será a demanda por carros elétricos, algo que a VinFast ainda não pode oferecer, pois seu primeiro EV começará a ser produzido somente no final do ano que vem.