Ultra-compacto de dois lugares tem 100 quilômetros de autonomia

Superesportivo? SUV? Nada disso. O primeiro carro 100% elétrico da Toyota é prático, racional e extremamente funcional. O ultra-compacto BEV (de Battery Eletric Vehicle) é um carrinho urbano de dois lugares pensado para o uso diário na cidade.

Toyota BEV ultra-compacto

Com 100 km de autonomia com uma carga completa, o BEV foi projetado especificamente para atender às necessidades diárias de mobilidade de clientes que fazem viagens regulares em curta distância. A velocidade máxima é de apenas 60 km/h, mas a agilidade vem do raio de giro muito reduzido.

Extremamente compacto, mede apenas 2,49 metros de comprimento, 1,29 m de largura e 1,55 m de altura. Comparando o Toyota BEV com o Smart ForTwo EQ, por exemplo, ele é 205 milímetros mais curto e 373 mm menos largo, além de ser 5 mm mais baixo. 

Ao vivo, o carro agrada pela racionalidade. É compacto, ideal para uso em cidades e fácil para estacionar. Por dentro oferece bom nível de conforto, com direção elétrica, ar-condicionado, central multimídia com vários recursos e um belo painel digital onde é possível ver de forma clara e rápida a velocidade e a carga da bateria. O acabamento no geral é honesto, com vários elementos que já conhecemos de outros modelos da Toyota, como botões e alavancas do Yaris, por exemplo. O espaço é bom para duas pessoas, lado a lado. 

Toyota BEV ultra-compacto

"Queremos criar uma solução de mobilidade que possa apoiar a sociedade em envelhecimento do Japão e oferecer liberdade de movimento às pessoas em todas as fases da vida", disse Akihiro Yanaka, chefe de desenvolvimento. "Com o BEV ultracompacto, estamos orgulhosos de oferecer aos clientes um veículo que não apenas permite maior autonomia, mas também requer menos espaço, cria menos ruído e limita o impacto ambiental".

A Toyota considera que é preciso criar carros que as pessoas queiram, mas, o mais importante, que possam comprar. Falando especificamente de carros elétricos, sabemos que o preço da bateria é fator limitante e acaba por elevar muito o valor final do carro. Com um carro compacto mais leve e mais racional, a "quantidade" de bateria é menor e, assim, o preço também tenderá a ser mais acessível.

As vendas começam em 2020, inicialmente no Japão. Os demais mercados que receberão o ultra-compacto ainda não foram divulgados.

Por Fábio Trindade, de Tóquio - Japão
Viagem a convite da Anfavea

Galeria: Toyota BEV - Carro 100% elétrico