Hatchback esportivo custa menos lá que aqui

À venda no mercado brasileiro desde agosto, o reestilizado Renault Sandero 2020 ganha alcance internacional nesta semana através de sua chegada ao México. Produzido em São José dos Pinhais (PR), o hatchback esportivo desembarca no país latino com as mesmas mudanças promovidas no facelift nacional, incluindo novo desenho para as lanternas e aperfeiçoamentos na cabine.

Mecanicamente, o conjunto de motor, câmbio, suspensão, direção e freios continua o mesmo ajustado pela Renault Sport - única preparação do tipo realizada fora da França. O preço sugerido é de 297.100 pesos, cerca de R$ 62.100 numa conversão direta. Por aqui, ele é tabelado a R$ 69.690.

Galeria: Renault Sandero R.S. 2020

Visualmente, a maior novidade da linha 2020 fica por conta do desenho da traseira, agora com lanternas duplas que invadem a tampa do porta-malas e que, nesta versão RS, possuem acabamento escurecido. As rodas aro 17" também são inéditas e as pinças de freio na cor vermelha foram herdadas da série especial Racing Spririt do modelo anterior. Além disso, há adesivos laterais da Renault Sport com novo grafismo e, na dianteira, o feixe de LEDs segue no para-choque, e não no próprio farol como nas demais versões do Sandero 2020.

Por dentro, foi mantido o volante exclusivo e herdadas algumas características do antigo Racing Spirit, como teto com revestimento preto e bancos com faixas duplas na cor vermelha. Nas portas, a região do apoio de braço recebeu tecido imitando fibra de carbono, enquanto o quadro de instrumentos segue com aro vermelho para o velocímetro.

Como no Brasil, os principais itens de série incluem assistente de partida em rampas (HSA); controle eletrônico de estabilidade (ESP), controle de tração (ASR), central multimídia Media Evolution, ar-condicionado automático, câmera de ré, retrovisores elétricos, vidros traseiros elétricos, piloto automático (controlador e limitador de velocidade) e rodas de liga leve aro 17" diamantadas.

Sob o capô, o motor 2.0 16V entrega 150 cv de potência e 20,9 kgfm de torque, sendo ligado ao câmbio manual de 6 marchas e relações curtas. Em nosso teste, o RS foi de 0 a 100 km/h em 9,1 segundos, mas a Renault fala em 8 segundos cravados e máxima de 202 km/h. 

Fotos: Divulgação