Modelo será opção topo de linha da família Z

Uma das novidades da Kawasaki para o Salão de Tóquio (Japão) é a nova Z H2, que chega para ser a nova opção topo de linha da família Z. Ela é basicamente a versão naked da superesportiva Ninja H2, incluindo o motorzão com compressor mecânico.

Galeria: Kawasaki Z H2 2020

A naked adota as mesmas linhas elaboradas e complexas da Ninja, integrando uma mistura de painéis pretos em contraste às peças em verde claro. A carenagem é claramente inspirada nos outros modelos Z, com dois faróis mesclados. A nova Z pesa 238 kg, ou 23 kg a menos do que a Ninja H2 SX, o que cria uma relação peso/potência ainda mais interessante. A Kawasaki equipou a moto com suspensão Showa e freios Brembo com ABS.

Como esperado, a H2 é equipada com o motor de quatro cilindros e 998 cc com supercharged, gerando 199,7 cv e 13,9 kgfm de torque - números semelhantes à Ninja H2 SX, opção de entrada da superesportiva. Isso significa que este motor ainda tem muito potencial e que a Z H2 pode ganhar uma versão mais potente, na linha da H2R. Este propulsor trabalha com uma transmissão de seis marchas com embreagem assistida e a tecnologia quick-shift da Kawasaki, que elimina a necessidade de apertar a embreagem antes de trocar de marcha.

Kawasaki Z H2 2020
Kawasaki Z H2 2020

Na parte tecnológica, a Z H2 vem com três modos de condução, controle de tração, launch control, controle de cruzeiro, conexão Bluetooth com o aplicativo Rideology e até três modos de potência, permitindo que o motociclista escolha se o motor irá entregar 50%, 75% ou 100% de sua força. Atrás do pequeno para-brisa está um novo display TFT colorido para o painel de instrumentos.

A Kawasaki Z H2 2020 será vendida nos EUA por US$ 17 mil (cerca de R$ 69,1 mil). A naked ainda não foi confirmada para o Brasil, mas, para efeito de comparação, a Ninja H2 SX custa R$ 139.990 por aqui. 

Fotos: divulgação e Motor1.com