Na cabine, há novo quadro de instrumentos e até botão seletor para troca de marchas

Após meses seguidos de flagras e teasers, a Renault finalmente oficializa a reestilização do sub-compacto Kwid. Lançada inicialmente na Índia, onde o modelo está à venda desde 2015, a atualização inclui novidades tanto no visual exterior quanto na cabine e servirá para otimizar o posicionamento diante da concorrência até a chegada de uma nova geração.

Por fora, como já era previsto, a inspiração partiu diretamente da versão elétrica City K-ZE, que emprestou praticamente todo o design do conjunto dianteiro. Já na cabine, as alterações em grande parte vieram da minivan Triber, apresentada recentemente no mercado asiático.

Galeria: Renault Kwid 2020 - Índia

Na dianteira, a Renault modificou o desenho dos faróis e adicionou luzes diurnas de LED com espessura fina e posicionamento horizontal. Além disso, agora há integração direta com a grade frontal e, logo abaixo, mais um conjunto de faróis forma uma espécie de iluminação em dois andares (vide lançamentos recentes como Hyundai Venue e Nissan Juke). O para-choque frontal também foi inteiramente remodelado e abriga uma nova entrada de ar na parte inferior. Laterais ganharam apenas calotas redesenhadas, enquanto a traseira recebeu para-choque com novo formato, além das novas lanternas de LED com iluminação em formato de C.

Renault Kwid 2020
Renault Kwid 2020

No interior, destaque para a presença de novidades como central multimídia MediaNav Evolution (agora com tela de 8 polegadas e reconhecimento de voz) compatível com Apple CarPlay e Android Auto, além do quadro de instrumentos completamente reformulado (incluindo mostradores coloridos e velocímetro digital), maçanetas com novo acabamento e console central levemente redesenhado. A maioria destes recursos faz parte do pacote da versão topo de linha Climber (que equivale à nossa Outsider), que conta ainda com detalhes em laranja na carroceria, rack de teto e adesivos exclusivos. Completam a lista de atrações os bancos com revestimentos inéditos, novo volante e botão seletor de marchas nas versões equipadas com câmbio automatizado.

Sob o capô, foram mantidos os motores 0.8 de 54 cv e 1.0 de 68 cv, com opção de câmbio manual ou automatizado, ambos de 5 marchas. No mercado indiano, o Kwid reestilizado terá a missão de enfrentar o futuro Suzuki S-Presso. Os preços começam em 283.000 rúpias, algo equivalente a R$ 16.600 numa conversão simples. Na Índia, vale lembrar, o Kwid está à venda desde 2015, por isso a necessidade da chamada reestilização de meia-vida. Já no Brasil, onde o lançamento aconteceu em 2017, as mudanças ainda levarão algum tempo.

Fotos: divulgação

Fonte: Renault