Marcas anunciam participação acionária uma na outra

Iniciada há cerca de três anos, a parceria firmada entre Toyota e Suzuki ganha força nesta semana com o anúncio de que ambas terão pequenas participações acionárias um da outra. As marcas adiantaram que a aliança tem como objetivo desenvolver novas tecnologias e, ao mesmo tempo, preparar as empresas para as inevitáveis mudanças da indústria automobilística mundial.

Pelo ficou definido, a Toyota pagará cerca de 96 bilhões de ienes (US$ 908 milhões) por 4,94% de participação na Suzuki, enquanto a Suzuki desembolsará 48 bilhões de ienes (US$ 454 milhões) por 0,2% dos papéis da Toyota.

Galeria: Toyota Corolla Touring Sports Hybrid

O "namoro" entre as duas companhias foi iniciado ainda em 2016 e reflete os desafios tecnológicos e a necessidade de acompanhar a consolidação do setor. A troca de participação acionária de agora vai ao encontro dos planos anunciados em março envolvendo o compartilhamento de tecnologias de propulsão e até de alguns modelos. Na ocasião, a Toyota concordou em ceder o uso de seu sistema híbrido THS para Suzuki a nível internacional, beneficiando a marca principalmente em mercados onde este tipo de propulsão está ganhando cada vez mais espaço. Além disso, também fornecerá para a Suzuki na Europa dois modelos: a perua Corolla Touring Sports e o SUV RAV4

Toyota RAV4 Hybrid
Suzuki Vitara Brezza

O compartilhamento inclui tanto a plataforma quanto as opções de motorização, havendo apenas alterações no design. Será o famoso rebadge, já praticado por várias outras marcas. Em troca, a Toyota equipará seus carros compactos com os mais recentes motores da Suzuki e terá acesso a dois carros da parceira na Índia e mais dois na África - um deles, segundo rumores, será o SUV compacto Vitara Brezza, que faz enorme sucesso e possibilitará à Toyota finalmente entrar nesse segmento em mercados emergentes. No mercado indiano, o projeto já foi iniciado através do lançamento do hatchback Glanza, uma versão Toyota do Suzuki Baleno.

Especialistas afirmam que o acordo coloca a Suzuki firmemente na órbita da Toyota. Atualmente, a gigante japonesa controla totalmente a Daihatsu, tem 50,2% das ações da Hino, 16,8% da Subaru, 5,1% da Mazda e 3,6% da Yamaha.

Fonte: Toyota/Suzuki