Muitas incertezas cercam o futuro do superesportivo

Ameaçada pela divergência de ideias quanto ao melhor caminho a ser seguido, a nova geração do superesportivo R8 parece ter ganho o apoio particular da divisão Audi Sport. Em entrevista concedida recentemente à revista britânica Autocar, o diretor administrativo da divisão, Oliver Hoffmann, disse que está fazendo o melhor que pode para convencer os executivos do grupo Volkswagen sobre a importância de se manter o motor 5.2 V10 na próxima encarnação. “Estamos lutando pelo V10, mas é mais ou menos uma questão de ICE [Internal Combustion Engines, ou seja, motor tradicional a diesel ou gasolina] ou eletrificação, e que tipo de mecanismo é útil para isso”, disse.

Galeria: Audi R8 2019

A dúvida levantada por Hoffmann reflete exatamente o dilema que envolve o desenvolvimento da nova linhagem do R8. Alguns apostam que o esportivo poderia abandonar os motores a combustão para se tornar um veículo totalmente elétrico, a exemplo do R8 E-Tron; enquanto outros sugerem que Audi poderia retirá-lo completamente de linha sem apresentar sucessor. No entanto, o mais provável é que haja uma fusão de ideias e que o novo R8 seja oferecido tanto com motor elétrico quanto com motor a gasolina. Segundo o executivo, a Lamborghini (também integrante do grupo Volkswagen) está trabalhando muito próxima da Audi no segmento de super-carros e não pretende abandonar o V10 no sucessor do Hucarán. Portanto, nada mais natural que o R8 siga o exemplo.

O lançamento da nova geração está programado para 2022 e até lá novos detalhes serão revelados. Antes disso, porém, o R8 atual ganhará novidades, incluindo a estreia de uma versão hardcore nos próximos dias no Festival de Goodwood.

Fonte: Autocar