Marca chega à conclusão de que os clientes preferem comprar um SUV a uma minivan

Quando a BMW apresentou o Série 2 Active Tourer, causou muita discussão entre os fãs da marca, por entrar no segmento de minivans apenas para disputar com a Mercedes-Benz Classe B. Só que é uma categoria que está perdendo cada vez mais espaço para os SUVs, e a fabricante bávara já percebeu isso. Peter Henrich, vice-presidente de gerenciamento de produtos da BMW, disse à revista Autocar que a minivan sairá de linha sem deixar sucessor.

Galeria: BMW Série 2 Active Tourer e Gran Tourer 2018

De acordo com Henrich, o BMW Série 2 Active Tourer “fez um excelente trabalho ao trazer novos clientes para nossa marca”. Era uma opção para quem queria um modelo mais familiar sem que fosse um dos sedãs. Porém, Henrich também diz que ele “não está no centro do que a nossa marca é hoje”. A BMW está se afastando de modelos deste tipo e apostando em carros com uma pegada mais esportiva, como é o caso dos sedãs, e deixando para os SUVs o papel de veículo mais versátil e espaçoso. Tanto é que Henrich acredita que os clientes que compravam a minivan acabarão escolhendo um SUV da fabricante.

E a BMW não está errada nesta decisão. A Mercedes-Benz também se afastou um pouco do Classe B, descartando criar uma versão de sete lugares para brigar com a BMW Série 2 Gran Tourer. Ao invés disso, investiu o dinheiro no desenvolvimento do inédito GLB, que será oferecido como um modelo acima do GLA e com opção para sete passageiros.

BMW Série 2
BMW Série 2

Falta agora descobrir o que a BMW pretende fazer após o fim do Série 2 Active Tourer, principalmente para cobrir o espaço deixado pela versão Gran Tourer de sete lugares. A marca só oferece uma opção com a terceira fileira no BMW X5, que custa mais do que o dobro da minivan na Europa. Se o SUV será uma alternativa natural ao Série 2 Active Tourer, é possível que a BMW siga o caminho da Mercedes-Benz e ofereça uma variante de sete lugares para brigar com o GLB.

Fonte: Autocar