Onda de lançamentos começará em 2020 com o C5 Aircross

Citroën continua se mexendo para mudar sua imagem no Brasil. Além dos esforços da fabricante para melhorar o seu pós-venda, irá dobrar a quantidade de concessionárias no país até 2022 e começará uma estratégia de lançamentos, com um novo carro por ano até 2023, começando pelo C5 Aircross, apresentado no Salão de Paris (França) do ano passado e que chegará ao país em 2020.

“Serão produtos que vão inaugurar novos conceitos em tecnologia”, explica Ana Theresa Borsari, diretora geral da Citroën no Brasil. O primeiro deles já está confirmado: o novo C5 Aircross, SUV que virá para ocupar o espaço antes ocupado pelo C4 Picasso como um modelo acima do C4 Cactus. Mede 4,51 metros de comprimento, terá preços na mesma faixa do Peugeot 3008. Na China, é vendido com os motores 1.6 THP de 167 cv e 1.8 THP de 204 cv, enquanto a versão europeia tem o 1.2 turbo de 130 cv e o 1.6 turbo de 180 cv. No Brasil, deve repetir a oferta do 1.6 THP. A transmissão é automática de 8 marchas, com tração dianteira.

Outro modelo cotado para o nosso mercado é o novo crossover compacto inspirado pelo C3 europeu, com menos de 4 metros de comprimento e abaixo do C4 Cactus. Está em desenvolvimento na Índia, de olho nos mercados emergentes, e será lançado em 2021 por lá. Fala-se do motor 1.2 a gasolina, nas versões aspirada de 84 cv e turbo de 112 cv, além de um 1.5 turbodiesel.

Também haverá mudança na linha nacional. Rumores falam sobre uma nova linha de carros compactos feita para o Brasil, substituindo o C3 feito em Porto Real (RJ) e que deve ter até um sedã menor que o C4 Lounge argentino. O C3 europeu foi descartado pela marca, após ser rejeitado pelos clientes em clínicas feitas por aqui.

Enquanto isso, a Citroën continuará a investir em melhorias do seu pós-venda. A fabricante francesa já obteve resultados, ocupando a quarta colocação no índice de satisfação dos clientes feito pela J.D. Power. E ainda prepara uma expansão, dobrando a quantidade de concessionárias no país até 2023 e com 80% de ocupação nacional.

Fotos: divulgação