Herbert Diess cobra executivos para que oitava geração do hatch médio não atrase

Prestes a mudar de geração, o Volkswagen Golf ainda é um dos carros mais importantes da marca alemã. Com apresentação confirmada para outubro, o novo hatch tem previsão de começar a ser entregue aos clientes no final de 2019, porém ainda enfrenta alguns problemas que podem atrasar o cronograma. Herbert Diess, CEO da VW, disse em uma reunião interna que isso não pode acontecer.

Segundo o site Automotive News Europe, Diess fez um discurso para 500 gerentes sênior de todas as marcas da Volkswagen e reservou um momento para falar do novo Golf. “Estamos lutando muito para atender a demanda. Nós iremos seguir o deadline e entregaremos os primeiros carros no final deste ano”, disse o executivo.

O novo Volkswagen Golf precisa atender a dois critérios: maior margem de lucro da linha e maior capacidade de produção. Com o fim da fabricação do carro no México e, em breve, no Brasil, o complexo em Wolfsburg terá que abastecer praticamente todo o mercado global – a exceção será a China, onde continuará a ser produzido.

Um dos problemas que está preocupando os executivos é o novo sistema eletrônico do carro. O software, bem mais complexo, terá a habilidade de receber atualizações via conexão 4G. Porém, também exige uma segurança muito forte, já que corre um risco maior de ser alvo de hackers. Os engenheiros estavam com problemas para resolver este problema e a VW até considerou lançar o carro somente em março, como revelado por Juergen Stackmann, chefe de vendas da marca.

Volkswagen Golf 2020 - Teasers
Volkswagen Golf 2020 - Teasers

A oitava geração do Volkswagen Golf quer estabelecer um novo padrão para o segmento. A marca irá equipar todas as versões com o painel de instrumentos digital e irá oferecer uma versão com sistema híbrido-leve de 48V. O híbrido Golf GTE continuará a ser vendido nesta geração, com capacidade para rodar por 80 km somente com a energia das baterias.

Já no Brasil, o esperado é que o novo Volkswagen Golf chegue somente importado, nas versões GTI e GTE. A marca já encerrou a produção do hatch nas versões 1.0 e 1.4 turbo em São José dos Pinhais (PR), além de acabar com a importação da perua Golf Variant. O híbrido GTE será lançado no 2º semestre em lote limitado, para testar a aceitação do público.

Fonte: Automotive News Europe