Plataforma FWD foi escolhida para tornar o modelo mais competitivo, diz a marca

Responsável por dar ao Série 1 o maior nível de renovação de toda sua história, a nova geração lançada recentemente teve novos detalhes divulgados nesta semana pela BMW. Através do chefe de design Domagoj Dukec, a marca explicou questões relacionadas ao visual e justificou a escolha por uma plataforma de tração dianteira, em detrimento do histórico de duas gerações seguidas equipadas com tração RWD. De acordo com as explicações, a mudança foi necessária para tornar o hatchback mais competitivo e ao mesmo tempo aproxima-lo dos principais concorrentes Mercedes-Benz Classe A e Audi A3, ambos produzidos nesta configuração.

Galeria: BMW M135i xDrive 2020

Começando pelo design, Dukec argumentou que a dianteira foi completamente redesenhada para abrigar grade com maiores dimensões e faróis montados em posição mais elevada. Nas versões M135i, a dianteira também ficou mais musculosa e sincronizada com outros modelos da marca em iguais versões esportivas. Nas laterais, há novos contornos e linha de cintura ascendente que passam a sensação de modernidade, enquanto na traseira as lanternas em formato de L sugerem aspecto mais agressivo. Por fim, o habitáculo teve seu espaço ampliado, acomodando os ocupantes de forma mais confortável.

Sobre a mudança de plataforma, o executivo admitiu que os clientes do segmento não estavam particularmente interessados ​​em ter um carro de tração traseira. Dessa forma, optou-se pela tração FWD, até mesmo como forma de empregar mais tecnologia e atingir níveis de desempenho mais altos. Para tanto, é destaque o motor 2.0 turbo de 306 cv, sempre associado ao câmbio automático de 8 marchas. A tração nas versões esportivas é integral, a exemplo do arquirrival Mercedes-AMG A35, que também usa motor 2.0 turbo. Demais detalhes serão revelados no final de junho.

Fonte: BMW