Marca assegurou que investirá integralmente em modelos totalmente elétricos

Ao contrário de outras montadoras, que têm apostado no desenvolvimento de híbridos antes da migração total para os elétricos, a General Motors implementará seu processo de eletrificação de forma totalmente direta. Em entrevista concedida recentemente, o diretor de marketing da empresa para o Mercosul, Hermann Mahnke, afirmou que todos os investimentos da marca nesse segmento serão integralmente direcionados para veículos totalmente elétricos. A estratégia é fugir da hibridização como caminho intermediário e, ao mesmo tempo, atender ao desejo dos consumidores por EVs puros.

Galeria: Chevrolet Bolt Teste BR

Não por acaso, a marca anunciou para outubro o início da comercialização do Chevrolet Bolt no Brasil. O modelo será seu primeiro elétrico comercializado oficialmente no mercado nacional e chegará às lojas com preço sugerido de R$ 175 mil. Segundo a GM, o Bolt EV possui a maior autonomia em sua faixa de preço, sendo capaz de rodar 383 quilômetros com uma carga pelo padrão norte-americano EPA. O modelo conta ainda com sistema regenerativo que aproveita a energia dissipada em frenagens e desacelerações para ampliar sua autonomia.

O motor elétrico oferece 203 cv de potência e torque instantâneo de 36,7 kgfm. Em nosso teste instrumentado, o hatch elétrico acelerou de 0 a 100 km/h em apenas 7,9 segundos. Outro destaque é o Driver Information Center, que roda numa tela de 10,2", onde é possível acompanhar o desempenho energético do carro. A recarga das baterias é feita em tomadas e há opções diversas: no caso de um carregador semirrápido, uma hora garante 40 km de autonomia; já em carregadores rápidos, encontrados em eletropostos, bastam 30 minutos para transitar mais 145 km.

Além do desenvolvimento de elétricos, outra prioridade da GM é com o aperfeiçoamento da tecnologia autônoma. “Estamos a alguns meses do lançamento de um modelo autônomo, os serviços de compartilhamentos já existem e muitos outros surgirão, e o carro elétrico está aí já", disse Mahnke.

Fonte: Automotive Business