Laboratório irá criar veículos para Nissan, Inifiniti e Datsun, misturando as culturas brasileira, latina e japonesa

Em crescimento no Brasil, a Nissan escolhe São Paulo como sede do novo estúdio de design da empresa na América Latina. O local, batizado como “The Box” (a caixa, em inglês) será um laboratório para desenvolver novos veículos não só para a marca Nissan, como também para Infiniti e Datsun. O time, liderado por John Sahs, já trabalha em projetos tanto para o Brasil quanto para outros mercados.

O Brasil é o sexto país a receber um estúdio de design da Nissan, além de China, Estados Unidos, Índia, Inglaterra e Tailândia. Trabalharão com o conceito de unificar aspectos da cultura brasileira com a japonesa. O time já criou um projeto que foi para o Japão. “Quando começamos, reuni a equipe e perguntei ‘o que gostariam de fazer?’, montamos uma lista e mandei para meu chefe [Alfonso Albaisa, vice-presidente sênior global de design]. Alfonso gostou de uma delas, enviou para o Japão e este veículo está em desenvolvimento”, explica Sahs.

A equipe já trabalhou em alguns modelos no país. O estilo da Frontier Attack foi criado aqui, assim como alguns conceitos mostrados no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro passado. Um  deles é o March 55, versão especial do compacto que usa materiais reciclados, de olho na sustentabilidade. “Quando me mudei para o Brasil, estava andando por uma rua e encontrei uma loja de roupas, a King 55. Gostei tanto da ideia que tive que chamá-los para uma colaboração”, afirma o designer.

Nissan

Um ponto importante será a liberdade do estúdio para criar o que quiser, desde modificar um design global para que fique mais alinhado ao gosto local, até participar da disputa para desenhar a nova geração de um modelo vendido em outros países. O time já tem uma conquista, na forma do Kicks UEFA Champions League, o primeiro modelo a ser aprovado pela UEFA para carregar o logo da competição, algo que nem a Nissan Europa conseguiu.