Chefe da categoria, Carlos Col fala em “missão“ de trazer mais marcas e novos carros, mas não vê chances de motores híbridos chegarem para próxima temporada

A etapa do Velo Città da Stock Car no último fim de semana teve também a presença dos carros e pilotos que abriram o caminho para que a categoria se tornasse a principal do país, com um desfile nos Opalas que atualmente estão na Old Stock Race, e com os grandes nomes no volante.

Após a festa de 40 anos, e com o atual campeonato acontecendo, o olhar fica para o futuro e Carlos Col, diretor da categoria e que retornou após uma década, tem planos ambiciosos para o novo carro que deve estar nas pistas a partir de 2020.

“Eu tenho uma missão, a de trazer mais montadoras para o evento, para a categoria no ano que vem”, disse Col. “Vamos fazer isso, vamos partir para uma reformulação do projeto técnico do carro, obviamente sempre pensando em segurança, e também adequando à situação de ter outras montadoras envolvidas.”

“A Stock Car é uma das categorias mais competitivas do mundo em termos de equalização e eu não quero perder isso. Os carros terão uma característica bem mais próxima dos carros de rua, mas não vão perder a competitividade, a velocidade, a potência, toda a performance que eles têm hoje. É um grande desafio e vamos começar uma nova página desta história em 2020.

Os planos já estão em curso, e Col admite que já está conversando com as montadoras.

 “As conversas existem, estamos conversando com algumas, evidentemente que o momento da economia brasileira, em especial da indústria automobilística, não é favorável para isso, mas mesmo assim as conversas estão indo muito bem. O prazo é para 2020.

Mas será que vai dar tempo de deixar tudo pronto já para a próxima temporada?

“Terá que dar. Vamos trabalhar para isso unidos com todas as equipes para fazer o planejamento. É também uma preocupação minha é não gerar grandes investimentos das equipes, manter os custos de onde estão para baixo, esse sempre é o grande desafio.”

Carro híbrido? Ainda não

Com os carros elétricos virando tendência na Europa e o aumento de popularidade da F-E, é natural que se pergunte ao mandatário da Stock Car se a próxima geração de carros poderá ter a tecnologia elétrica ou híbrida.

“O nosso projeto e o protótipo de uma das montadoras que já fiz está mais parecido com o carro de rua, muito mais identificado com o carro de rua do que os carros da NASCAR inclusive. Neste aspecto, nós vamos estar mais alinhados com as montadoras.”

“No caso da motorização, está havendo uma mudança muito grande no mercado, nas várias categorias do mundo. Eu estou observando muito, estou entrando em contato com todas, estou visitando e nós vamos buscar nosso caminho dentro de uma tendência que temos que buscar e o híbrido está entre as opções, sem dúvida, mas neste caso não será para 2020, porque demandará mais tempo para o desenvolvimento e até para que a gente possa amadurecer qual é o melhor caminho posto no Brasil.”

“Você tem uma tendência mundial e no caso do híbrido e do elétrico muito liderado pela Europa e não pelos Estados Unidos que tem outra cultura, mas os timings são diferentes. Os próprios timings dos veículos de rua são diferentes.”

“Tudo vai acontecer primeiro na Europa para depois chegar à América do Sul, então temos que entender esses momentos, essas diferenças e vamos tomar as decisões e escolhas, refletindo sobre essas tendências, então eu quero um pouco mais de tempo para escolher certo e para que a gente não faça investimentos de curto prazo.”

“Haverá uma transição, no primeiro ano de trazer uma ou duas montadoras, com seu carro alinhado com o carro de rua e a motorização faremos de maneira mais simplificada possível neste momento.”

“Estamos com um olho no hoje e outro no amanhã, vamos trabalhar em paralelo para buscar qual será a motorização da Stock Car em 2021, 2022 em diante.”

ANO HISTÓRICO: 40 ANOS DA STOCK

A Stock Car completou em Abril 40 anos de uma bonita trajetória. Acompanhe abaixo uma galeria de imagens exclusivas com todos os carros dos campeões temporada por temporada.