Versão XL, de entrada, também some do catálogo

Produzida na Argentina, a Ford Ranger vendida no Brasil terá uma leve reestilização ainda em 2019. Além dos flagras da picape rodando sem camuflagens em seu país de produção, a marca confirmou a Ranger como um dos cinco lançamentos para a América Latina em 2019. Antes disso, porém, a gama brasileira já começa a ser reajustada para tal, com o fim das versões com o motor 2.5 flex - que recentemente também deixou de ser oferecido no Fusion.

Em nota, a Ford confirmou ao Motor1.com que reduziu a quantidade de versões da picape e que irá focar nas variantes a diesel. Saem de cena as versões com o motor 2.5 flex (XLS, XLT e Limited) e as de entrada XL com o 2.2 turbodiesel (chassi, cabine simples e cabine dupla). A estratégia de redução de versões é algo que vem sendo feito pelas montadoras para redução de custos de produção, como a VW fez com Fox e Up recentemente.

Junto com a reestilização, a Ranger terá a versão Storm no Brasil. Ela foi apresentada durante o Salão de São Paulo em 2018 e confirmada para cerca de um ano depois - deixando a impressão que ela será um lançamento separado das demais versões, provavelmente apresentadas meses antes. 

A movimentação feita pela Ford segue a tendência do mercado. Atualmente, apenas a Toyota Hilux e a Chevrolet S10 oferecem motores flex, enquanto Nissan Frontier, Volkswagen Amarok e Mitsubishi L200 Triton são vendidas somente com motorização a diesel. Até mesmo a Renault Alaskan e Mercedes-Benz Classe X seriam comercializadas somente nos modelos a óleo.

Galeria: Ford Ranger Black e Storm - Salão de SP 2018

Ficaram em linha as versões 2019 da Ranger XLS 2.2 automática, XLS 2.2 4x4 manual, XLS 2.2 4x4 automática, XLT 3.2 4x4 automática e Limited 3.2 4x4 automática. A tabela de preços da Ford Ranger é a seguinte:

MODELO PREÇO
Ford Ranger XLS 2.2 AT R$ 128.250
Ford Ranger XLS 2.2 4x4 MT R$ 147.520
Ford Ranger XLS 2.2 4x4 AT R$ 154.610
Ford Ranger XLT 3.2 4x4 AT R$ 176.420
Ford Ranger Limited 3.2 4x4 AT R$ 188.990