Primeiro deles será o Golf GTE híbrido, previsto para o 2º semestre

Aos poucos, as fabricantes começam a entrar no segmento de carros elétricos e híbridos no Brasil. Uma das que trabalham para isso é a Volkswagen, que planeja lançar seis carros eletrificados nos próximos cinco anos. O primeiro deles já está confirmado: o híbrido plug-in Golf GTE, apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro passado, e que começará a ser vendido no 2º semestre deste ano.

Galeria: Volkswagen Golf GTE, Passat GTE e e-Golf - Salão de SP 2018

Avistado diversas vezes em testes no Brasil, o Volkswagen Golf GTE está há tempos nos planos da empresa, mas ainda não foi lançado. Parece que dessa vez vai, pois a fabricante continua a confirmá-lo para este ano. Chegará bem atrasado, pois a nova geração do Golf será apresentada em outubro. É equipado com o motor 1.4 TSI de 150 cv e um elétrico de 102 cv, capaz de rodar por 50 km usando apenas a energia das baterias, ou até 880 km no modo híbrido.

Além do Golf GTE, a empresa também mostrou o elétrico e-Golf e o híbrido Passat GTE, ambos com chances de chegar ao nosso mercado. O e-Golf pode vir como uma forma de testar a aceitação do público, já que esta versão sairá de linha e não terá um sucessor na próxima geração do hatch médio. Ele tem autonomia de 300 km e usa um motor elétrico de 136 cv e 29,6 kgfm.

O Passat GTE é semelhante ao Golf GTE, adotando a mecânica composta pelo 1.4 TSI de 150 cv e o motor elétrico de 115 cv. Com conta com baterias maiores, e a autonomia total pode chegar a 965 km. Poderia ser vendido como uma alternativa para quem prefere um carro mais espaçoso do que o Golf.

Galeria: Volkswagen e-Up

Mesmo que estes três modelos estejam na lista dos seis lançamentos previstos pela fabricante, ainda ficamos com três carros faltando e as possibilidades são muitas. Da linha atual vendida na Europa, o único que não foi mostrado no Salão do Automóvel é o e-Up!, que ganhará uma nova versão com maior autonomia no 2º semestre.

Dentre os modelos inéditos, as duas possibilidades são o Tiguan, que receberá uma variante híbrida em breve e que já roda em testes na Europa; e os modelos elétricos da linha I.D., que estreiam em setembro no Salão de Frankfurt. Porém, a fabricante terá problemas com o preço, já que a versão hatch custará 29.990 euros e ainda dará prejuízo com cada unidade.

Fotos: Donizetti Castilho