Chassi ou monobloco? Média ou compacta? Executivos estudam qual seria a melhor opção

Apesar de estar realmente decidida a entrar no segmento de picapes nos Estados Unidos, a Volkswagen ainda não bateu o martelo sobre qual tipo de modelo oferecerá por lá nos próximos anos. Conforme relata a agência de notícias Automotive News, executivos da montadora discutem internamente pelo menos três possibilidades e avaliam cada detalhe para escolher a melhor opção. O objetivo é acertar na escolha para não amargar frustrações no futuro e posicionar a marca da maneira mais competitiva possível, especialmente por conta da falta de tradição na categoria e da pesada concorrência local.

Galeria: Volkswagen Tarok Concept

Nesse sentido, Scott Keogh, CEO do grupo Volkswagen na América do Norte, analisa três opções: uma picape com carroceria sobre chassi derivada da próxima geração da Ford Ranger (ou seja, a sucessora da nossa Amarok), a versão de produção do conceito Tanoak (derivada da plataforma do SUV Atlas) ou um modelo menor, posicionado no segmento A e com arquitetura modular (em outras palavras, a nossa Tarok, recentemente levada ao Salão de Nova York para avaliação da receptividade). Entre as possibilidades, esta última acumula as mais chances de se tornar realidade.

Volkswagen Amarok V6 com 272 cv
Volkswagen Atlas Tanoak Pickup Concept

"A questão que temos é que algo assim poderia fazer sentido, com modificações, nos EUA", comentou Keogh. "A teoria é bastante direta: não há caminhonete no mercado norte-americano com esse tamanho. O posicionamento poderia ser no segmento A, mas quando você rebate o banco traseiro basicamente você obtém o comprimento de caçamba de uma picape do segmento B", explicou. O executivo se refere à possibilidade de rebatimento do painel da parte traseira da cabine, recurso que aumenta a dimensão da caçamba ao criar uma espécie de piso plano e que deverá ser mantido no modelo de produção.

Outro detalhe que chama atenção diz respeito à uma eventual produção no México, com consequente abastecimento dos Estados Unidos. A decisão final será tomada por Keogh nos próximos meses.

Fonte: Automotive News