Hatch médio apostará em sistema e-Power para ganhar força no segmento

Longe do Brasil desde 2013 e com fim decretado na Europa em 2017, o Nissan Tiida prepara um retorno ao mercado. A revista japonesa Best Car descobriu que a fabricante está trabalhando em uma nova geração, que tentará novamente consegui um espaço entre os hatches médios, desta vez apoiado pelo uso do sistema híbrida e-Power – fórmula que deu certo para o compacto Note e a minivan Serena. O lançamento aconteceria até 2021 e, em um primeiro momento, somente no Japão.

Galeria: Nissan Tiida 2017

De acordo com a Best Car, o novo quadro de diretores da Aliança Renault-Nissan está mudando o sistema usado até então por Carlos Ghosn. Uma das mudanças é o pensamento de que “o mercado japonês deve ser mais valorizado” pela Nissan e o resultado disso será o lançamento de mais veículos no país, que façam os consumidores locais abandonarem marcas europeias.

O projeto que começará essa nova estratégia será o novo Tiida. Além de ser um nome já conhecido no país, a Nissan irá apostar na adoção do sistema e-Power, que fez sucesso com Note e Serena. Esta mecânica usa um motor 1.5 turbo somente com gerador, criando energia para um motor elétrico. O resultado é um carro que se beneficia do torque instantâneo dos carros elétricos, mas sem precisar de um conjunto de baterias muito pesado. E, como é apenas um gerador, o motor gasta menos, entregando um rendimento melhor do que um veículo comum.

Inicialmente, o novo Nissan Tiida será um modelo somente para o Japão. O hatch ainda é vendido em alguns países asiáticos, como China, Cingapura e Taiwan, com o nome de Pulsar. Na Europa, ele teve sua produção encerrada em 2018 por conta da baixa demanda.

Fonte: Best Car