Picape foi renovada no mundo todo, mas a marca dizia não ter planos de trazê-la ao nosso mercado...

Há pouco mais de um ano, começaram a aparecer imagens da Ford Ranger com mudanças no design. Com o tempo, descobrimos que tratava-se de uma nova reestilização, feita para acompanhar o lançamento da picape média nos Estados Unidos. Na época, a fabricante disse que era um design exclusivo para Canadá e EUA, e que não viria para cá- o que não é uma mentira, já que a picape americana é diferente da global. Embora a empresa ainda faça silêncio, ela já registrou a Ranger renovada no Brasil, que aparece no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Galeria: Ford Ranger reestilizada - INPI

Como mostramos nas fotos da Ford Ranger reestilizada rodando em testes, ela recebe uma mudança leve no design dianteiro. A grade frontal fica mais fina, sem se integrar ao para-choque – eliminando o que a Ford chamava de “peito de aço”. Os faróis adotam um desenho interno semelhante ao usado no Everest (o SUV baseado na picape). O para-choque dianteiro também foi redesenhado, com uma entrada de ar maior. Os registros mostram também a versão Wildtrack, mais parecida com o modelo atual e que recebe pequenas alterações, como os faróis de neblina com novo formato e a grade pintada de preto. O visual usado nos EUA é diferente do resto do mundo, recebendo um para-choque próprio.

Já na traseira, as versões mais caras ganham lanternas em LED, enquanto as mais simples trazem luzes com novo desenho interno. Na cabine, a Ford se preocupou em deixar a Ranger mais equipada. Aplicou um novo controle de cruzeiro adaptativo, capaz de reconhecer placas e com frenagem autônoma de emergência. E também a nova versão da central multimídia Ford Sync.

Ford Ranger 2019 (global)
Ford Ranger 2019 (global)
Ford Ranger Limited 2019

 

A nova Ford Ranger, a versão Wildtrak vendida na Austrália e o modelo atual disponível no Brasil

A mecânica teve alterações em alguns mercados. Na Austrália, por exemplo, ganhou um novo motor 2.0 biturbo diesel de 213 cv e 50,9 kgfm, que trabalha com um câmbio automático de 10 marchas. É a mesma mecânica utilizada na Ranger Raptor. Ainda assim, manteve o 3.2 turbodiesel de 200 cv e 47,9 kgfm e transmissão de 6 marchas, manual ou automática. A suspensão ainda recebeu um novo ajuste, que reduz o rolamento da carroceria.

De acordo com o site Argentina Autoblog, a Ford Ranger reestilizada apareceu em uma lista de lançamentos da fabricante para 2019 no país vizinho. E, como é produzida por lá para abastecer a América Latina, basta mudar na Argentina para que seja lançada aqui também. O mais provável é que seja apresentada na forma da versão especial Ranger Storm, revelada no Salão do Automóvel de São Paulo do ano passado e que já foi confirmada para este ano no Brasil.

Galeria: Ford Ranger 2019 - Flagra

Vale lembrar que, assim como nos EUA, a Ford brasileira prometeu investir em SUVs e picapes em vez de em carros tradicionais. Só que até agora ela só confirmou o fim de Fiesta, Focus e Focus Sedan sem anunciar nenhum lançamento de utilitário além da versão Storm da Ranger.