Marca está reorganizando toda a operação com o objetivo de voltar à lucratividade

Considerado providencial para ao retorno da Ford à lucratividade fora da América do Norte, o tão falado programa de reestruturação da marca segue sendo implementado mundo afora. Depois de atingir o Brasil com o fechamento da fábrica de São Bernardo do Campo e a França com o encerramento das operações na planta de Blaquefort, o projeto agora chega à Alemanha com a demissão de pelo menos 5 mil funcionários.

Em nota, a marca disse que "está reorganizando a força de trabalho na região para diminuir significativamente os custos estruturais, reduzir a burocracia, capacitar líderes e gerentes e eliminar o trabalho com menor valor agregado".

Galeria: Ford Focus Active wagon

A ação faz parte do plano anunciado em janeiro que prevê, entre outras medidas, corte de empregos, fechamento de fábricas e extinção de modelos considerados pouco ou nada rentáveis, como sedãs e minivans. A partir de agora, o objetivo da Ford Europa é concentrar esforços em três frentes de trabalho: veículos comerciais, veículos de passageiros e importações. Além disso, a empresa reduzirá a complexidade dos produtos existentes e otimizará a gama de versões dos veículos mais vendidos e rentáveis, tanto aumentando a produção como direcionando melhor a oferta.

A Ford vem perdendo dinheiro na Europa há anos e está sendo pressionada para fixar suas operações na região desde que a GM saiu do continente, em 2017. A meta é alcançar pelo menos 6% de margem operacional, voltando à lucratividade sustentável. "Temos as pessoas certas, mas na Europa precisamos trabalhar melhor nosso modelo de negócios", disse o CEO Jim Hackett.

Além da Alemanha, há previsão para cortes de empregos também no Reino Unido. Ao todo, a Ford Europa emprega cerca de 50 mil pessoas.

Fotos: Divulgação