Marca até então se queixava da falta de lucratividade diante dos híbridos

A Toyota parece não ter resistido às fortes pressões do mercado e admitiu recentemente à agência de notícias Automotive News Europe que lançará dentro de poucos anos um veículo totalmente elétrico na Europa. Até então, a marca argumentava que o segmento gerava poucas margens de lucro na comparação com a forte linha de híbridos que já possui na região e que, em razão disso, preferia ficar de fora. Agora, a ideia é finalmente ofertar um modelo do tipo naquele mercado e marcar posição diante de concorrentes de peso que já exploram ou planejam explorar este nicho.

Galeria: Toyota C-HR Hybrid - Europa

“O preço será alto, portanto, provavelmente será um SUV", disse Johan van Zyl, CEO da Toyota no continente. Segundo o executivo, pesquisas internas mostram que SUVs e vans são os segmentos mais receptivos à tecnologia de propulsão elétrica e que o objetivo é ter o modelo pronto em 2021. Detalhes sobre este carro ainda são desconhecidos, mas o fato de uma versão 100% elétrica do C-HR estar sendo pensada para a China levanta muitas possibilidades. Questionado sobre a chegada desta variante à Europa, onde o modelo já faz bastante sucesso, o próprio van Zyl afirmou: "algo que pode ser apreciado".

A Toyota quer ofertar pelo menos 10 EVs em nível global a partir de 2020, mas contraditoriamente não deposita todas as fichas na tecnologia. "Levará muitos anos até que o preço seja tão competitivo quanto os produtos convencionais, sem incentivos", disse Matt Harrison, diretor de vendas e marketing da Toyota Europe. "Nos próximos dois ou três anos haverá mais veículos elétricos em oferta entre nossos concorrentes do que a demanda poderá absorver", analisou. "O que nossos clientes querem e para o que estão dispostos a pagar determina a velocidade na qual precisamos implantar esse tipo de solução. É por isso que acreditamos que os híbridos são uma solução melhor no curto prazo para a maioria dos clientes", explicou.

Não por acaso, a empresa faz sucesso com a linha de híbridos que possui na Europa. Só neste ano, o segmento será responsável por metade das vendas da marca na região - proporção que subirá para 60% em 2021.

Fonte: Automotive News Europe