Sedã híbrido sai de linha para abrir espaço para um futuro SUV elétrico

O carro que começou a eletrificação da General Motors saiu de linha. O Chevrolet Volt, sedã híbrido plug-in lançado em 2011 teve sua produção encerrada na fábrica em Detroit (EUA). Esta movimentação havia sido adiantada pela própria marca, quando anunciou que irá acabar com a produção de cinco fábricas nos Estados Unidos e Canadá, o que também irá encerrar as vendas do Cruze no país.

Galeria: Chevrolet Volt Premier 2016

Lançado em 2011, o Chevrolet Volt nasceu como um projeto de carro elétrico, porém a marca viu que o custo de produção, problemas com a autonomia e a falta de infraestrutura para recarga seriam problemas que poderiam travar as vendas. Por isso, optaram por um pacote de baterias menor e um motor a gasolina que funciona como um gerador. O resultado foi um sedã que roda por 56 quilômetros até o esgotamento da bateria no modo elétrico, ou até 610 quilômetros usando a recarga do motor a combustão.

Embora a motorização tenha sido elogiada nos EUA, o Volt era um carro muito caro, custando US$ 10 mil a mais do que um Toyota Prius. E, com a queda no preço da gasolina no país, a busca por modelos mais econômicos caiu. Além disso, carros 100% elétricos começaram a ganhar força com o crescimento da rede de recarga rápida. A própria GM desistiu do sistema do Volt, preferindo trabalhar com carros elétricos. Ainda podemos considerar a queda na procura pelos sedãs no país, com o público olhando mais para os SUVs e picapes.