Marca registrou lucro líquido de US$ 8,1 bilhões em operação global

Durante a divulgação de seu balanço financeiro anual, a General Motors mostrou o tamanho do rombo em sua operação no Mercosul. Segundo a empresa, ela lucrou US$ 8,1 bilhões (R$ 30,2 bilhões) em 2018, após descontar os impostos e despesas, somando todas as suas divisões, mas perdeu US$ 900 milhões (R$ 3,36 bilhões) na Argentina e no Brasil. Um comunicado polêmico enviado aos funcionários no Brasil dizia que fabricante havia tido o terceiro prejuízo seguido em 2018.

Segundo a General Motors, as operações do General Motors International (GMI) foram as mais complicadas. A China, através de sua parceria com a SAIC, lucrou US$ 2 bilhões, valor que manteve a GMI no azul. Porém, a operação na Argentina e no Brasil causou uma perda de US$ 900 milhões – Os dois países são responsáveis por mais de 70% das vendas da empresa na América do Sul. Um dos motivos apontados pela empresa é a desvalorização do real brasileiro e do peso argentino.

O lucro global de US$ 8,1 bilhões foi 2,3% maior do que em 2017, mesmo que o lucro bruto tenha sido de US$ 11,8 bilhões, 8,3% menor ante o ano anterior, o que representa um recuo de US$ 1 bilhão. Só a GMI caiu de US$ 1,3 bilhão de lucro bruto para US$ 400 milhões, 69% menos. Mesmo os negócios na América do Norte não foram tão bem assim, onde tivera US$ 10,8 bilhões, uma queda de US$ 9,2%. O que ajudou foi o resultado de sua financeira, que cresceu 58% para US$ 1,9 bilhão.

Galeria: Chevrolet Blazer 2019

A marca ainda tenta lidera com a situação do mercado nos Estados Unidos, com a queda na procura pelos sedãs. Isso levou a GM a renovar sua linha de picapes de grande porte e lançar mais SUVs, além de cortar sedãs como o Cruze e fechar 5 fábricas tanto nos EUA quanto no Canadá. A empresa espera que essas medidas já causem um impacto positivo ainda em 2019.

Também estão perdendo dinheiro com a Cruise, empresa criada para desenvolver carros autônomos. Como ela ainda não oferece nenhum serviço, por estar trabalhando na tecnologia, acaba apenas gastando dinheiro. Só a cruise levou US$ 700 milhões dos bolsos da GM em 2018.

Fonte: Automotive Business