Mesmo com algumas ausências, 30ª edição mostra melhora em relação à 2016, mas ainda não supera resultado de 2014

Após 11 dias (13 se contar os dias de imprensa), o Salão do Automóvel de São Paulo 2018 chega ao fim. A 30ª edição do principal evento automotivo do país comemora um público de aproximadamente 742 mil visitantes entre os dias 8 e 18 de novembro. É uma boa notícia para a organização, já que a edição 2016 houve uma queda, com 715,4 mil visitantes. Ainda assim, não supera o resultado de 2014, quando o público foi de 756,1 pessoas.

Classificado pela organização como a “melhor edição de sua história”, o Salão do Automóvel de São Paulo 2018 pode não ter superado a quantidade de visitantes de 2014, mas isso não impediu de quebrar alguns recordes. Foram 45 mil test-drives, 10 mil a mais do que em 2016 – sendo que o resultado da edição anterior já era o dobro do que era realizado quando o evento acontecia no Anhembi. O tamanho da pista de testes ajudou, medindo 23 mil m², um aumento de 3 mil m² em comparação com 2016.

Foram 29 marcas participantes: Audi, BMW, CAOA Chery, Chevrolet, Chrysler, Dodge, Ferrari, Fiat, Ford, Honda, Hyundai, Jeep, KIA, Lamborghini, Lexus, Lifan, Maserati, Mercedes-Benz, Mini, Mitsubishi, Nissan, Porsche, Renault, Rolls-Royce, Subaru, Suzuki, Toyota, Troller e Volkswagen. Infelizmente, tivemos algumas ausências. Citroën, Peugeot, Volvo, Jaguar Land Rover e JAC Motors decidiram não ter um estande no evento, sendo que Volvo e JAC já haviam ficado de fora desde a edição 2016. Essa ausência permitiu que o espaço fosse utilizado por outros expositores, aumentando o total de estandes em 25%.

Salão do Automóvel de São Paulo 2018
 

Além disso, o Salão do Automóvel de São Paulo 2018 irá marcar por ter sido a primeira edição a dar destaque para carros eletrificados e conectados. Foram exibidos 33 modelos híbridos ou elétricos, muitos deles inéditos. O evento foi o palco de apresentação do Chevrolet Bolt, do Nissan Leaf e do Renault Zoe, três modelos totalmente elétricos que estarão nas concessionárias em 2019.