Regime dita as regras para produção e comercialização de veículos no país

Depois de atrasos e incertezas o presidente Michel Temer finalmente assinou nesta quinta-feira (8) o decreto que regulamenta o novo regime tributário automotivo, o Rota 2030. A assinatura foi feita na abertura da 30ª edição do Salão do Automóvel de São Paulo.

A sanção presidencial foi feita às pressas, poucas horas após a aprovação pelo Senado (a Câmara deu o aval na noite de quarta-feira), pois o prazo limite para conclusão seria nesta sexta-feira (9). 

Durante sua visita ao evento paulistano, o presidente admitiu que estava “aflito” com a possibilidade de o Senado não aprovar a medida provisória, e ele, ali no Salão do Automóvel, sair sob vaias. “Eu confesso que estava um pouco aflito. Imagine se eu estou aqui prestes a assinar o decreto regulamentar e vem a notícia de que não houve quórum ou que foi desaprovada a medida. Eu sairia debaixo de vaias e agora saio sob aplausos”.

Volkswagen - Fábrica de Taubaté (SP)

O presidente ainda disse que a medida representa um “grande avanço para o setor e para o Brasil” e defendeu que mais parcerias entre o governo e as indústrias, tudo pelo desenvolvimento econômico do país. Temer ainda afirma que o novo regime trará mais investimentos ao país "A próxima edição [do Salão do Automóvel] poderá exibir mais avanços”. 

Antônio Megale, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), comemorou o anúncio: “Com essa aprovação, o Brasil pode se orgulhar de também poder ser líder em tecnologia automotiva. Vamos atrair novos investimentos e a nossa chance de um avanço ainda maior na engenharia do setor”.

Fonte: Agência Brasil

Galeria: Fábrica Mitsubishi em Catalão (GO)