Em um ano, participação de mercado caiu de 42,5% para 36,5%

A mudança de perfil do consumidor europeu depois do Dieselgate afetou em cheio as vendas de veículos a diesel na região. Conforme explica a AIE, a Europa sempre um foi um grande mercado para motores do tipo desde a década de 1980, mas nos últimos anos tem sofrido com quedas consecutivas. No primeiro semestre deste ano, por exemplo, a demanda recuou 16% e os números caíram para 3,12 milhões de unidades. Em termos gerais, a participação de mercado foi reduzida de 42,5% em 2017 para 36,5% neste ano.

A maior retração foi registrada no Reino Unido, onde o resultado negativo foi de mais de 30%. Na Alemanha, berço de grandes produtoras de carros a diesel, como Volkswagen e BMW, a participação caiu de 41,3% no ano passado para 31,1% neste ano. "A insatisfação com carros a diesel está se espalhando por toda a Europa", diz o relatório da Agência Internacional de Energia.

Audi SQ7 and Porsche Panamera 4S Diesel drag race

Como consequência, as vendas do diesel combustível também caíram e, por conta do efeito cascata, os preços nas bombas subiram. A redução estimada é de pelo menos 115 mil barris por dia. Para piorar, vários países têm endurecido as regras anti-poluição e até mesmo restringido a circulação de veículos do tipo em cidades como Berlim, Londres e Paris. A ordem agora é estimular a viabilidade comercial dos elétricos.

Fotos: Divulgação

Galeria: Bentley Bentayga Diesel - 2017