Marca atribui resultado à transição para o novo padrão WLTP de emissões

O grupo Volkswagen registrou no último mês de setembro uma queda de aproximadamente 18% nas vendas globais de veículos. Esperado também para este mês de outubro, o resultado ruim é atribuído em especial ao processo de transição para o novo padrão de emissões de poluentes, chamado WLTP (Worldwide Harmonized Light Vehicle Test Procedure). Para se enquadrar às novas normas, diversos modelos tiveram de receber modificações e a produção, em alguns casos, foi suspensa, como a dos Audi RS3, Volkswagen Golf GTI e Seat León Cupra.

Na prática, foram entregues em setembro 827.700 veículos em todo o mundo, o que representa recuso de 18,1%. Levando em conta apenas as vendas da Europa Ocidental, a retração é de impressionantes 41,5%. “Após os meses de verão muito fortes, esperamos baixas entregas em setembro como resultado da transição para o WLTP. Isso se aplica em particular à Europa e continuará em outubro. Esperamos que novembro e dezembro sejam meses mais fortes nessa região ”, comenta Christian Dahlheim, chefe de vendas do grupo.

SEAT León ST Cupra 300

De todas as marcas do grupo, a Audi foi a que mais sofreu com a mudança, com queda de 22% em relação a setembro de 2017. A Seat e a VW Veículos Comerciais tiveram uma queda de 20%, enquanto a VW (automóveis) diminuiu 18,3%. A Porsche recuou apenas 3%, enquanto, naturalmente, as divisões de caminhões MAN e Scania não foram afetadas.

A Volkswagen diz ainda que a "disputa tarifária contínua com dos EUA com a China" foi a principal razão para a queda de 4,8% nas entregas da empresa na região da Ásia-Pacífico. Apesar da dificuldade do mês passado, o grupo Volkswagen ainda pode registrar um aumento de 4,2% nas entregas de janeiro a setembro em comparação com o mesmo período do ano passado. As vendas na Rússia e na Europa Central e Oriental registraram crescimento.

Fotos: Divulgação

Galeria: Volkswagen Golf 2017