Picape chegará ao Brasil em 2019 para brigar com Hilux, S10, Amarok e cia

Potenciais clientes que esperavam adquirir a picape Alaskan com motor a gasolina ou flex não terão essa possibilidade no Brasil, segundo a própria Renault. De acordo com Hernán Bardi, diretor da marca na Argentina, a picape começará a ser produzida localmente entre o fim deste ano e o início de 2019, sendo equipada apenas com motorização turbodiesel. O propulsor em questão será o mesmo 2.3 da Nissan Frontier, com potências de 160 cv (monoturbo) ou 190 cv (biturbo).

Mais sobre a Alaskan

Derivada do mesmo projeto que originou também a Mercedes-Benz Classe X, a Alaskan complementará a atuação da Renault no segmento de picapes para além da Duster Oroch. Para compensar a falta de tradição na categoria, a marca espera atrair consumidores usando todo o know-how que detém no segmento de comerciais (incluindo vans, caminhões e furgões).

Essai Renault Alaskan

Sob o capô, o motor turbodiesel poderá e vir associado a um câmbio manual de 6 marchas ou automático de 7. Dados de fábrica apontam aceleração de 0 a 100 km/h em 12 segundos e máxima de 160 km/h. No mundo inteiro, a produção da Alaskan será distribuída por três fábricas: Cuernavaca, no México; Barcelona, na Espanha; e Córdoba, na Argentina. É dessa última unidade que a picape chegará ao Brasil em meados do ano que vem.

Fonte: Autoblog Argentina

Galeria: Avaliação - Renault Alaskan 2018