Hatch derivado do Logan foi lançado primeiro por aqui em 2007

Nascido como um projeto criado para mercados emergentes pela Dacia, braço romeno da Renault, o Sandero era uma derivação hatch do Logan. Estreou primeiro no Brasil, em 2007, como uma opção mais espaçosa aos seus concorrentes. Se visualmente causou uma certa polêmica, com soluções "baratas" e acabamento bem simples, atraiu compradores pelo espaço interno e porta-malas com preço na média de modelos menores. 

Renault Sandero 1 milhão

Leia também

O Sandero chegou ao mercado com motores 1.0 16V de 76/77 cv e 9,9/10,1 kgfm (mesmo utilizado pelo Clio na época), 1.6 16V de 107/112 cv e 15,1/15,5 kgfm, e 1.6 8V com 92/95 cv e 13,7/14,1 kgfm, sempre com câmbio manual de cinco marchas. No ano seguinte, surgia a versão aventureira Stepway, com suspensão elevada e diversos apliques na carroceria para aproveitar a onda dos hatches com visual descolado. Em 2011, o Sandero recebia sua primeira reestilização e opção de câmbio automático de 4 marchas - mais tarde trocado por um automatizado de 5 posições (Easy'R). 

Renault Sandero Stepway

A segunda geração do Sandero foi lançada em 2014 com o mesmo visual que conhecemos hoje, inclusive do Sandero Stepway (que se tornaria apenas Stepway em 2018). No fim de 2016, o hatch recebeu a nova família de motores SCe, com o 1.0 de três cilindros e um novo 1.6 de quatro cilindros e 16 válvulas com tecnologias como start-stop e alternador por demanda.

O Sandero também foi o primeiro Renault Sport produzido no Brasil. A versão esportiva R.S trouxe todo sistema de suspensão calibrado pela divisão esportiva da marca, motor 2.0 de 150 cv e câmbio manual de seis marchas com relações curtas, além de visual exclusivo e bancos semi-concha. 

Fiat Argo HGT MT vs. Renault Sandero R.S. Racing Spirit
Renault Sandero
Renault Sandero Stepway

Agora em 2018, o Sandero chega a 1 milhão de unidades produzidas em São José dos Pinhais (PR). O Complexo Ayrton Senna ainda abastece os mercados da Argentina, Uruguai e Paraguai, sendo que 210 mil unidades foram enviadas para estes países. Uma reestilização profunda, que deve colocar o Sandero em um patamar acima do atual, é esperada para 2019, com visual exclusivo para o Brasil e acabamento mais caprichado.

Fotos: divulgação e arquivo Motor1.com 

Gallery: Renault Sandero 1.0 SCe - Teste