Hatch adotará plataforma UKL, a mesma do Série 2 e do Mini Cooper

A geração atual do BMW Série 1 (conhecido internamente como F20) começou a ser vendido mundialmente em 2011. Isso significa que a próxima versão deve estrear até 2019, devido a sua idade. Aproveitamos que ele já circula em testes para adiantar o seu design em projeção.

A grade tem o típico formato de rim da BMW, ao invés de adotar a variação usada no X2. Nos faróis, tivemos que especular um pouco sobre o seu formato, já que os protótipos flagrados em testes ainda estão muito camuflados. Em todo caso, os elementos em LED agora terão um formato hexagonal. Nossa projeção obviamente mostra a versão com o pacote visual M Sport, então tem entradas de ar maiores do que o modelo normal. Os espelhos laterais tem acabamento que imita fibra de carbono. A distância entre as caixas de roda dianteira e a borda da porta dianteira está menor. A linha de cintura fica na altura das maçanetas, como no modelo atual. O teto tem um caimento bem leve para a traseira e a coluna B fica escondida atrás de uma pintura preta.

Leia também

Tecnicamente, muitas mudanças serão feitas no novo Série 1. A mais importante é que terá tração dianteira ao invés de tração traseira. Isso porque será baseado na plataforma UKL, a mesma usada no Série 2 Active, X1, Mini Countryman e em seu irmão, o Série 1 Sedan. Falando no sedã, ele já começou a ser vendido em alguns países, com 4,46 metros de comprimento e 2,67 m de entre-eixos. Como comparação, o Série 1 atual mede 4,32 m de comprimento e o entre-eixos é de 2,69 m. O novo Série 1 deve usar o mesmo entre-eixos do sedã, reduzindo o tamanho nos balanços dianteiros e traseiros.

 

 

Erwischt: Neuer BMW 1er

Ainda não sabemos se manterá a versão de duas portas, que está desaparecendo do mercado. Nossa projeção mostra o hatch com quatro portas, já que o modelo com duas portas pode sair de linha, como foi com o Mercedes-Benz Classe A. Sua motorização deve utilizar apenas unidades de três e quatro cilindros. O motor mais potente de quatro cilindros disponível na BMW atualmente tem 258 cv - o que poderia ser usado no 130i. Há rumores de que o X2 deve receber um motor de 300 cv, então existe a chance da BMW usar para um futuro 135i. O motor de seis cilindros do M140i vendido atualmente não é compatível com a nova plataforma.

Uma das novidades da nova geração deve ser uma versão híbrida, com foco em eficiência energética. Pode adotar o sistema híbrido de 224 cv do Série 2 225xe Active Tourer iPerformance (que também equipa o Mini Cooper SE Countryman All4). Ainda há rumores de uma versão com sistema híbrido leve e de que irá trocar a transmissão automática com conversor de torque por uma automatizada de dupla embreagem.

Leia também

Esperamos que o hatch receba um painel de instrumentos digital, já que seus rivais já contam com essa tecnologia: o Audi A3 tem o Virtual Cockpit, o VW Golf conta com o Active Info Display e o novo Mercedes-Benz Classe A estreia o sistema MBUX. Na parte de trás, o novo Série 1 deve ser mais espaçoso, embora as chances do túnel central ficar menor são pequenas, já que o Série 1 também terá o sistema de tração integral xDrive - então precisa do espaço para a mecânica. O porta-malas deve crescer em comparação ao atual, que tem capacidade de 360 litros, chegando a 1.200 litros com os bancos rebatidos.

Os preços devem continuar o mesmo na Europa. Na Alemanha, o hatch parte de 25.900 euros (cerca de R$ 124,7 mil ) na versão 116i. Ainda é cedo para falar quando o BMW Série 1 2019 deve ser lançado no Brasil, já que depende do lançamento no resto do mundo para começar a ser importado para cá.

Galeria: BMW Série 1 2019 - Projeção