Metais cancerígenos foram encontrados em baterias usadas por modelos VW, Audi e Porsche

Depois da enorme repercussão negativa causada pelo escândalo do Dieselgate, outra grande dor de cabeça parece bater à porta da Volkswagen. Conforme relata a imprensa europeia, a gigante alemã está sendo acusada de equipar uma série de veículos elétricos e híbridos com baterias contaminadas com metais cancerígenos, entre eles o cádmio. Pelo menos 124 mil unidades das marcas Volkswagen, Audi e Porsche podem ter de voltar às concessionárias para reparar o problema, caso a KBA (autoridade alemã do setor de transportes) assim determinar.

Volkswagen e-Golf 2017

Leia também:

 

Segundo a KBA, há preocupação quanto ao “potencial descumprimento da legislação europeia sobre veículos em fim de vida”. A VW, por sua vez, admite o problema e explica que um fornecedor entregou um lote de baterias contendo 0,008 gramas do metal e que o componente foi instalado entre 2013 e junho de 2018. No entanto, garante que os carros afetados não representam perigo para motoristas e passageiros, pois o metal estaria isolado e inacessível para o contato humano.

Entre os principais modelos envolvidos, destaque para e-Golf, o e-Up!, Golf GTE e Passat GTE. Mais detalhes sobre o caso serão divulgados em breve.

Fotos: Divulgação

Galeria: Volkswagen e-Golf 2017