SUV vendido na Ásia já chegou a ser cogitado para o Brasil, mas embate com Edge cancelou planos

Principal representação da Ford na Ásia entre os SUVs construídos sobre chassi, o Everest foi rápido ao acompanhar as novidades estéticas e mecânicas implementadas na irmã Ranger. Apenas um dia depois de apresentada a renovação picape, o modelo estreou praticamente o mesmo facelift, com mudanças concentradas principalmente na dianteira. De quebra, ganhou também um novo conjunto mecânico nas versões topo de gama, formado pelo motor diesel 2.0 bi-turbo associado ao câmbio AT de 10 marchas.

Leia também:

Na dianteira, as novidades incluem grade do radiador redesenhada e com novos filetes cromados, para-choque levemente remodelado e rodas de 20 polegadas com acabamento diamantado. Na cabine, o painel de instrumentos ganhou gráficos ligeiramente revistos e o sistema de entretenimento agora roda o Sync 3, com navegação por satélite e compatibilidade com Apple CarPlay e Android Auto.

 

No que diz respeito à segurança, a principal novidade fica por conta da frenagem de emergência autônoma com detecção de pedestres. Já no quesito conforto, há assistente automático de estacionamento e tampa do porta-malas que abre quando o motorista desliza o pé sob o para-choque traseiro.

Ford Everest 2019

Sob o capô, o motor diesel 2.0 bi-turbo é o mesmo da Ranger renovada e da apimentada versão Raptor. Desenvolve 213 cv e 50,9 kgfm de torque, vindo sempre associado à nova transmissão automática de 10 marchas. Segundo dados de fábrica, o consumo médio fica na casa dos 14,5 km/l. Ainda na mecânica, a Ford diz que mexeu na geometria da suspensão e deixou o SUV com rodar mais macio.

No Brasil, o lançamento do Everest chegou a ser cogitado alguns anos atrás, mas os planos nunca vingaram. Por aqui, a marca optou por concentrar esforços no lançamento do Edge, importado da América do Norte. 

Fotos: Divulgação

Galeria: Ford Everest 2019