Fábricas chinesas têm menos robôs, o que permite menor índice de tolerância

Ainda há um estereótipo de que veículos manufaturados na China que não tem a mesma qualidade de produção que os da Europa ou Estados Unidos. Porém em uma conversa com o vice-presidente sênior da Volvo, Robin Page, ao site australiano GoAuto, o executivo disse acreditar que os modelos fabricados na China podem ser ainda melhores do que os das grandes e conceituadas fábricas em outros países.

 

Leia também:

"Todo mundo se preocupa com a qualidade, mas quando começaram, a qualidade era ainda melhor do que na Europa", disse Page ao GoAuto. Ele atribui a diferença à maior automação das fábricas europeias, usando mais robôs. Em sua visão, ter trabalhadores humanos ajudaria as linhas de montagem chinesas a terem um índice de tolerância menor e teria a habilidade de fazer mudanças no processo de produção de forma mais rápida. "Não é uma diferença enorme, mas se você for colocar no papel e contar as vantagens e desvantagens, a China é muito boa, então não estamos muitos preocupados sobre nossa produção lá." 

Volvo S90 chinês será vendido na Europa

Desde que a Geely comprou a Volvo em 2009, a marca sueca passou a produzir mais modelos na China e exportar para outros mercados. A empresa começou pequena, enviando a versão de entre-eixos alongado do S60 de geração anterior para os EUA. O S90 disponível agora na Europa também vem da Ásia. No futuro, a Volvo pretende produzir modelos elétricos na China e exportá-los para o resto do mundo.

A Volvo não está sozinha entre as fabricantes automotivas que mandaram sua produção para a China. Por exemplo, a nova geração do Ford Focus deixou de ser fabricada nos EUA, que agora receberá o hatch médio feito no oriente. A BMW é outra, já confirmando os planos de montar o futuro crossover elétrico iX3 na China.

Fonte: GoAuto

Galeria: Volvo S90 chinês será vendido na Europa