Casa de Maranello não se renderá tão fácil à avalanche verde do mercado

Apesar do crescente interesse de marcas em geral no desenvolvimento de elétricos, a Ferrari não considera investir na tecnologia a médio prazo. Conforme relata a agência Automotive News, o plano estratégico de 5 anos traçado para a marca pelo chefão Sergio Marchionne não inclui a aplicação de um centavo sequer no desenvolvimentos de tecnologias zero emissão. Segundo o executivo, "veículos elétricos ainda não são relevantes para a empresa". Quem sabe em um futuro distante.

Leia também:

O desdém de Marchionne com os elétricos não vem de agora e já foi externado pelo CEO em diversas ocasiões. Ele já chegou a lamentar o fracasso comercial do Fiat 500e (modelo que gerou prejuízo de mais de US$ 20 mil por unidade vendida) e recentemente afirmou que não existe um modelo econômico viável para produzir carros elétricos na atualidade. Em relatórios internos, há citações até sobre o risco potencial para a lucratividade que os elétricos representam.

Ferrari Portofino Slider

Por outro lado, o italiano se mostra simpático aos híbridos. A Ferrari tem planos concretos para aprofundar o desenvolvimento da tecnologia e está atualmente debatendo quais modelos devem receber o powertrain.

Fotos: Divulgação e Arquivo Motor1.com

Galeria: Ferrari Portofino