Marca estuda se vale a pena aproveitar fábricas do Grupo VW na região

Após o vice-presidente da Seat falar dos planos de vender carros na América Latina, agora é a vez de Luca de Meo, presidente-executivo da marca espanhola, revelar que estuda entrar no nosso mercado, inclusive com produção local. A ideia é aproveitar as fábricas do Grupo Volkswagen na região, já que muitos modelos da Seat compartilham plataformas e motores com a fabricante alemã.

Leia também:

“A Seat estuda a viabilidade de vender e fabricar carros na América Latina. O Grupo VW conta com complexos no México, Brasil e Argentina. Temos que estudar a rentabilidade para dar um passo”, declarou o executivo ao jornal espanhol Expansión. “Não tínhamos um plano sério para conquistar os mercados da América do Sul e Central. Agora temos mais recursos e estamos em um momento em que não precisamos apagar incêndios todos os dias. Por isso estamos levantando números para ver quais são as oportunidades a nível comercial e industrial.”

2018 Seat Arona

Luca de Meo se refere à virada da marca, que tornou-se rentável. Irá divulgar seus resultados no próximo dia 22 de março e a expectativa é que, pelo segundo ano consecutivo, feche o ano fiscal no verde. A marca já trabalha em alguns países da região, como Colômbia e Peru, mas uma produção local ajudaria a ganhar volume e reduziria os preços. Seu resultado no México justifica essa preocupação, já que é o seu quarto melhor mercado, com 24.700 unidades vendidas em 2017, atrás apenas de Alemanha, Espanha e Reino Unido.

Fonte: Expansión

Galeria: Seat Arona - Primeiras impressões