Versão preparada estreou há pouco na Ásia e está prometida para a América Latina

Se você acha que o câmbio automático da nova Ranger Raptor é exagerado por fugir dos padrões da categoria na quantidade de marchas, fique sabendo que a Ford por pouco não deu um passo ainda mais ousado nesse sentido durante o desenvolvimento da picape. Conforme relata o site australiano CarAdvice, antes de optarem pelas 10 posições escolhidas para o modelo final, os engenheiros que trabalharam no projeto testaram várias versões desta transmissão, algumas delas com 8, 9, 12 e até 13 marchas.

Leia também:

"Nós realmente fizemos simulações durante o exaustivo processo de testes para definir o número ideal de relações que o câmbio de uma picape desse porte poderia ter. Examinamos 7, 12 e até 13 velocidades, para saber do ponto de vista de desempenho e eficiência o que realmente seria melhor para o projeto", disse John Fallu, gerente de engenharia da Ford na região Ásia-Pacífico. Ao final, a versão de 10 marchas foi escolhida por responder de maneira mais adequada a requisitos como desempenho e durabilidade.

2019 Ford Ranger Raptor

Na versão apresentada para mercados asiáticos, a transmissão está sempre associada um motor 2.0 biturbo diesel com 213 cv de potência e 51 kgfm de torque. Em outras regiões, como Estados Unidos, a expectativa fica para a adoção de motores a gasolina, provavelmente o 2.3 turbo de 310 cv já usado pela versão local ou ainda um V6 de litragem superior. A América Latina também está na rota da picape, mas até agora a Ford não confirmou quais países deverão recebê-la. Fica a torcida para o Brasil estar na lista.

Fonte: CarAdvice

Galeria: Ford Ranger Raptor 2019