Segundo a Folha de São Paulo, montadoras tentam justificar injeção de dinheiro no Brasil

Enquanto as negociações para as regras do Rota 2030 parecem caminhar bem devagar, as cobranças das matrizes das fabricantes de automóveis não estão. Segundo o jornal Folha de São Paulo, a demora para o inicio do (já atrasado) plano de incentivos da indústria começa a prejudicar os planos e investimentos no país. 

Comparativo - Toyota Prius e Corolla Altis

Segundo a reportagem, as filiais brasileiras começam a enfrentar dificuldades para justificar injeções de milhões de Reais em fábricas, produtos e desenvolvimentos sem saber quais incentivos terão em nosso país. Se há algum tempo a indústria automotiva pede previsibilidade, é de se imaginar o quão complicado é mostrar as previsões sem um plano do governo. Tal falta do Rota 2030 também prejudica fornecedores de peças.

Leia também:

O investimento planejado da indústria chega aos R$ 16,7 bilhões, com foco em eficiência energética e reduções de emissões. Novos motores e desenvolvimento em híbridos e elétricos são os principais pontos que toda a indústria automotiva defendem para o Brasil até 2022. 

Fonte: Folha de São Paulo

Envie seu flagra! flagra@motor1.com