Versão super preparada tem motor diesel 2.0 de 213 cv e câmbio de 10 marchas; teria chance no Brasil?

Apresentada nesta semana na Tailândia com foco em mercados da região Ásia-Pacífico, a endiabrada Ford Ranger Raptor não deve demorar para ganhar alcance internacional. Em conversa com jornalistas durante o lançamento, a marca confirmou que planeja oferecer a variante na América do Norte, Europa e América Latina, mas ainda não definiu datas ou especificou quais países estão incluídos nos planos. Fica a torcida para que o Brasil não fique de fora dessa estratégia global, tendo em vista as boas vendas que o segmento alcança por aqui.

Leia também:

Desenvolvida na Austrália com a ajuda do time americano responsável por preparar a F-150, a Ranger Raptor vai muito além do visual. Entre outros destaques, usa suspensão Fox feita sob medida, com curso longo e amortecedor coilover Watts Link na traseira. Traz ainda rodas exclusivas de 17 polegadas calçadas por pneus BF Goodrich All-Terrain, proteção inferior adicional e o apimentado modo de condução Baja - sistema emprestado da F-150 Raptor que trava a transmissão no modo de tração 4x4, reduz a atuação do sistema de estabilidade e aumenta a resposta do acelerador.

2019 Ford Ranger Raptor

Sob o capô, o motor 2.0 diesel de quatro cilindros equipado com dois turbos gera 213 cv e 51 kgfm de torque. Os números não são os mais robustos do segmento (a Amarok 3.0 V6, por exemplo, rende 224 cv e a Mercedes-Benz Classe X 350d V6 terá pelo menos 258 cv), mas prometem desempenho acima da média. Toda a força é enviada para as quatro rodas através do novo câmbio automático de 10 marchas, desenvolvido em uma parceria da Ford com a General Motors. 

Em outros mercados, como Estados Unidos, a expectativa fica para a adoção de motores a gasolina, provavelmente o 2.3 turbo de 310 já usado pela versão local ou ainda um V6 de litragem superior. 

Fotos: Divulgação

Galeria: Ford Ranger Raptor 2019