Tecnologia estreou no novo Classe A em substituição ao antigo Comand

Recentemente inaugurado pelo Classe A de nova geração, o sistema de entretimento MBUX não deve demorar para ganhar capilaridade e se espalhar por toda a gama de modelos da Mercedes-Benz. Em entrevista concedida há pouco, Ola Kaellenius, executivo da área de pesquisa e desenvolvimento, garantiu que o dispositivo se tornará a principal atração tecnológica a bordo dos carros da marca, desde os mais baratos, como os que compõem a própria família A, até os mais caros, como os da linha S. A ideia é substituir o sistema Comand, de projeto e recursos mais antigos.

Leia também:

Mercedes-Benz Classe A 2019

Na versão básica do Classe A, o MBUX (sigla para Mercedes-Benz User Experience) é composto por um painel de instrumentos de 7 polegadas acompanhado de uma tela sensível ao toque com o mesmo tamanho. Nas configurações intermediárias, o conjunto é formado por uma tela maior, de 10,25 polegadas, para a central multimídia, enquanto nos modelos topo de linha existem dois painéis de 10,25 polegadas.

Independentemente da versão, a central multimídia tem o poder de processamento de um computador de última geração. Ela possui processador de seis núcleos, chip gráfico fornecido pela nVidia e tem memória com 8 GB de RAM. Aqueles que quiserem gastar mais poderão optar por um head-up display de altíssima resolução.

Mercedes-Benz Classe A 2019

O sistema de navegação intregrado (GPS) é fornecido pela HERE, com os dados guardados em um HD. Outro diferencial é a possibilidade de personalizar a iluminação ambiente em LED com 64 opções de cores. Entrando na área dos mais antenados em tecnologia, a central oferece suporte para Near Field Communication (NFC), assim como portas USB-C para carga rápida do smartphone.

Mesmo nos modelos já equipados com o Comand, a Mercedes diz que a troca de sistemas simples é relativamente simples, uma vez que o hardware usado é compatível.

Fotos: Divulgação

Galeria: Mercedes-Benz Classe A 2019