Atualmente, trâmites burocráticos exigem de 9 meses até 2 anos de espera

O governo da Argentina anunciou recentemente que dará um importante passo no sentido de reduzir a burocracia que envolve o lançamento de um novo veículo no país. Por meio de decreto, o órgão local que regula o setor determinou que o chamado processo de homologação não ultrapasse o limite de dois meses, especialmente no tocante à emissão de licenças como a LCM (Licença de Configuração de Modelo) e a LCA (Licença de Configuração Ambiental). Até então, o tempo de espera para a concessão destes documentos girava em torno de 9 meses - ou até mais, dependendo do caso.

Leia também:

O recorde burocrático foi alcançado há poucos anos pelo Renault Kangoo Z.E., que demorou aproximadamente 24 meses para concluir todo o processo de homologação. A espera foi tanta que, assim que o trâmite foi finalizado, o modelo recebeu modificações na França e teve de ser submetido a uma nova bateria de avaliações. Resultado: o lançamento que foi inicialmente anunciado em 2014 nunca se concretizou e o carro até hoje não chegou às concessionárias.

Renault Kangoo Z.E.

Com a medida, o governo espera concluir todo o processo dentro de 40 ou 50 dias e dar às montadoras a garantia de colocar qualquer novo modelo à venda no país em no máximo 60 dias. No fim das contas ganha o consumidor, que poderá ver lançamentos globais chegando às concessionárias locais sem grandes atrasos em relação aos Estados Unidos ou à Europa.

No Brasil, o mesmo processo leva cerca de 7 meses para ser concluído - mas pode demorar bem mais dependendo do modelo. No Chile, o mesmo trâmite dura apenas 2 semanas e, no Uruguai, toda a papelada é emitida no próprio porto, assim que o veículo é desembarcado.

Fotos: Divulgação

Galeria: Renault Kangoo Z.E. 2016