A equipe Movistar Yamaha da MotoGP revelou na quarta-feira em Madri a a M1 com a qual Valentino Rossi e Maverick Viñales disputarão a temporada 2018

Na decoração da Yamaha M1 de 2018, retorna a dominar a cor azul usual da marca de Iwata, mas com algumas mudanças. Na nova moto, o logotipo da Movistar se destaca mais, é maior e a cor branca contrasta com o azul escuro predominante na pintura, mais intenso e cobrindo toda a M1, desaparecendo o branco do ano passado.

O novo esquema de cores, incorporado a um protótipo de 2017, acabará por ser definitivo quando estiver pintado na moto da temporada 2018 que os engenheiros do Japão estão terminando para atualizar durante os testes pré-temporada, que começarão o próximo fim de semana em Sepang e durarão até o mês de março, quando concluírem no Catar. A Yamaha espera, para esse último teste, ter já completada a primeira versão da moto de 2018.

O passo não é simples. A Yamaha fracassou na concepção da moto de 2017, o que deixou seus pilotos, Valentino Rossi e Maverick Viñales, absolutamente fora da luta pelo campeonato desde a metade da temporada. A última foi a pior temporada da Yamaha na última década em todos os níveis: pontos, classificação de pilotos, vitórias... a moto de 2018 é a chave para recuperar a competitividade e chegar ao nível da Honda e Ducati, as duas motos que lutaram contra pelo campeonato até a última corrida.

Mas não é só isso, pois, de acordo com suas próprias palavras, a renovação de Valentino Rossi para as temporadas 2019-2020 depende, em grande medida, da competitividade da moto de 2018 - uma decisão que o italiano levará o primeiro terço da temporada para tomar. Se a moto não funcionar, como no ano passado, Rossi poderá considerar a aposentadoria. Portanto, a importância de acertar o protótipo é vital.

Kouichi Tsuji, promovido para a presidência da Yamaha Motor Racing, abriu a apresentação explicando suas novas funções dentro da empresa. "O meu trabalho baseia-se agora em três pilares: o desenvolvimento de novas tecnologias e aplicação no dia-a-dia, o reconhecimento da marca Yamaha no mundo e a evolução da marca nas corridas, o que fazia até agora, apoiado no trabalho de Lin Jarvis nos circuitos".

"Os pilotos, Valentino e Maverick são um dos nossos pontos fortes, mas também nossa equipe, que é muito poderosa, junto com nossos patrocinadores, de todo o mundo, teremos até 50 este ano. Temos uma mistura que nos torna uma equipe especial que aumenta constantemente seu nível", explicou Tsuji sobre a força da Yamaha.

Sobre o objetivo que marca o time da temporada que está prestes a começar, o japonês foi franco.

"O objetivo da Yamaha nesta temporada é conquistar o título de campeões do mundo".

Surpreendeu a ausência de Lin Jarvis na apresentação, desculpada por um pequeno problema de saúde. Em seu lugar, o diretor da equipe, Massimo Meregalli, explicou que "os testes de Valência e Sepang foram muito importantes porque testamos o mesmo conjunto em dois circuitos diferentes, o que nos deu uma base muito boa para o trabalho que começa nesta semana novamente em Sepang", disse.

Yamaha apresenta moto de Rossi e Viñales para 2018
Yamaha apresenta moto de Rossi e Viñales para 2018

"Haverá um novo circuito na Tailândia e será importante testar um novo circuito para ver se a base é boa. E também para verificar o trabalho de inverno e a eletrônica, que foi nosso calcanhar de Aquiles para a degradação do pneu traseiro. Temos informações de circuito das Superbikes, que competiram lá", explicou Meregalli.

"No que diz respeito às mudanças nos regulamentos de teste, não acho que tenha muito reflexo sobre a evolução da moto durante o ano, temos menos margem para ir aos circuitos e preparar para as corridas, mas em termos de evolução da moto, eu não acho que as novas regras nos prejudicam".

"O principal objetivo do ano é o campeonato mundial e, em particular, poder dar aos pilotos uma moto consistente com a qual eles possam lutar pelo Mundial".

"Estive em contato com os pilotos neste inverno, e eu consegui verificar que eles estão bem fisicamente e prontos para enfrentar este importante 2018", concluiu o italiano.

Com a palavra, Rossi

Rossi acumula 17 temporadas na MotoGP, 19 na categoria principal e 23 no Campeonato Mundial.

"É sempre o mesmo sentimento quando começa, o mesmo espírito. A experiência ajuda você a melhorar e resolver os problemas que aparecem durante a temporada, nos fins de semana de corrida".

"No inverno estive no Rally de Monza, fiz a corrida dos campeões e continuarei a treinar forte toda a temporada no Rancho, mas talvez diminuindo um pouco a intensidade do perigo para que não se repitam os ferimentos que tive no ano passado treinando entre corridas durante a temporada".

Fotos: divulgação

Galeria: Yamaha apresenta moto de Rossi e Viñales para 2018